George Floyd morreu há mais de suas semanas, mas  as manifestações contra o racismo continuam a multiplicar-se em inúmeros países do mundo. A multiplicar-se, também, permanecem alguns posts nas redes sociais que dão conta de um facto que parece ter escapado aos órgãos de comunicação ao longo dos dias mais quentes dos protestos motivados pela violência policial: "Os manifestantes invadiram a Casa Branca pela primeira vez na história dos Estados Unidos. Há relatos de disparos junto da entrada Este. Donald Trump foi levado para o bunker subterrâneo durante quase uma hora. Cerca de 40 cidades americanas estão sob toque de recolher, devido à morte de George Floyd nas mãos da polícia."

A denúncia, feita no Twitter no dia 1 de junho, é acompanhada por um vídeo, o mesmo que surge noutras publicações no Facebook, que mostra dezenas de manifestantes a partirem uma porta e a entrarem, de forma indevida, num edifício que se assemelha à residência oficial do presidente dos Estados Unidos. Porém, será que se trata, mesmo, da Casa Branca?

A resposta é não. É falso que o edifício das imagens seja a Casa Branca, como é falso que os manifestantes que saíram à rua nas últimas semanas tenham, em algum momento, invadido a sede do governo norte-americano. Conta disto mesmo dá a News Meter, plataforma de verificação de factos.

Um olhar atento sobre a gravação em causa revela que por detrás da construção que os manifestantes estão a invadir, e que seria alegadamente a Casa Branca, existem outros prédios, mais altos, com reclames luminosos no topo. Ora, a residência oficial de Donald Trump tem em redor um vasto perímetro vedado ao público, apenas com relva e árvores, pelo que, independentemente do ângulo através do qual se olhe, não é possível vislumbrar qualquer construção mais alta com publicidade. Além disso, o vídeo mostra uma construção com oito colunas e uma cúpula. A Casa Branca não tem qualquer cúpula e, apesar de ter colunas em duas fachadas, os elementos assumem formas distintas daquelas que são visíveis no clip da invasão.

Ainda assim, as imagens são autênticas. É verdade que, durante os protestos, no final do mês de maio, os manifestantes vandalizaram e invadiram um edifício governamental, mas o capitólio de Ohio, a cerca de 700 km da capital do país, onde fica a Casa Branca. O incidente foi amplamente noticiado pelos media norte-americanos.

Em conclusão, é falso que várias dezenas de manifestantes tenham vandalizado e invadido a residência oficial do presidente dos Estados Unidos, a propósito das manifestações que se seguiram à morte de George Floyd.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network