Foi hoje, dia 14 de setembro, que as escolas começaram a abrir portas um pouco por todo o país e o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, declarou que "é o primeiro dia do resto das vidas das escolas", sublinhando que, embora seja um ano letivo diferente, "toda a gente entende a importância (do ensino presencial) para a nossa literacia comunitária, das crianças e dos jovens, mas também para a nossa saúde mental e física".

Entretanto, nas redes sociais circula a alegação de que Brandão Rodrigues faltou ao debate sobre a abertura do ano letivo, realizado no Parlamento no dia 10 de setembro. Em causa está uma peça da RTP que terá, alegadamente, sublinhado a ausência do deputado único e líder do Chega, André Ventura, e descurado a ausência do ministro da Educação.

"Debate sobre a abertura do ano lectivo no parlamento ontem. A RTP termina a peça informando que 'o deputado André Ventura faltou ao debate'. Pois faltou. (...) Curiosamente a RTP esqueceu-se de um pequeno pormenor. Foi de informar que o ministro da Educação também faltou ao debate", salienta-se na publicação em causa.

Mas será verdade que Brandão Rodrigues faltou ao debate?

O Polígrafo questionou o gabinete do ministro da Educação que confirmou a situação em causa, ressalvando contudo que "este tipo de debates não obriga à presença de ministros".

Mais, informa que "o ministro esteve representado por dois secretários de Estado: o secretário de Estado Adjunto e da Educação, João Costa, e a secretária de Estado da Educação, Susana Amador".

A mesma fonte explica que "a essa hora o ministro estava a visitar uma escola básica em Lisboa com o presidente da Câmara Municipal de Lisboa", verificando assim as preparações para o arranque do ano letivo.

E conclui: "Mediante as agendas dos ministérios define-se se é ou não possível participar nestes debates. Não há nada de extraordinário nisso".

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network