Não é a primeira vez que esta alegada citação de Miguel Esteves Cardoso (escritor, antigo diretor e fundador do jornal "O Independente") se espalha pelas redes sociais, através de múltiplas publicações. Também surge recorrentemente nas caixas de comentários a notícias relativas aos direitos das pessoas LGBTI ou matérias conexas.

"Na Europa, cada manifestação 'do orgulho gay' contou, em média, com 100.000 pessoas. Cada manifestação contra a corrupção teve, em média, cerca de 2.500 pessoas! Estatisticamente, fica provado que há mais gente a lutar pelo direito de levar no rabo, do que lutar para não ser enrabado". Esta é a frase que supostamente terá sido dita ou escrita por Miguel Esteves Cardoso. Nas últimas semanas voltou a circular nas redes sociais.

Mas trata-se de uma citação verdadeira ou  apócrifa?

É claramente uma citação apócrifa. Não há qualquer registo de que Miguel Esteves Cardoso tenha alguma vez dito ou escrito esta frase ou algo remotamente parecido.

Aliás, o próprio escritor e atual cronista do jornal "Público" já desmentiu a autoria dessa frase, em artigo publicado no dia 22 de novembro de 2012, quando tal falsidade começou a ser difundida nas redes sociais, em blogs e demais páginas na Internet.

"Furto de identidade", denunciou Miguel Esteves Cardoso no título do artigo. "Anda para aí na Internet uma frase bacoca, fascista e estúpida que se atribui falsamente à minha pessoa. Não vou repeti-la aqui para não dar prazer ao autor da frase homofóbica e odiosa e a quem roubou o meu nome para publicitá-la. Se é que são pessoas diferentes", sublinhou.

  • Brinquedos de Natal para crianças. Publicidade do Lidl desconstrói estereótipos de género?

    Rapazes a brincar com bonecas e raparigas com carros, invertendo as mais tradicionais representações de género? Sim, além da neutralização das cores (azul e cor-de-rosa deixam de ser exclusivos de um e outro género) e dos utensílios de limpeza doméstica (idem), entre outros exemplos patentes num folheto de publicidade do Lidl que está a ser destacado - por entre aplausos e críticas - nas redes sociais.

"Geralmente, os fake MEC que, de vez em quando, aparecem por aí são frases inofensivas, mais ou menos pirosas, acerca do amor, da amizade e da alegria dos passarinhos na Primavera. Uma ou outra até é capaz, para minha grande vergonha, de ser minha", ironizou. "O que mais me ofende não é o furto da identidade. É a alacridade e a rapidez com que é espalhada a frase, pelo Facebook, pelo Twitter e por alguns blogs. Pelos vistos, muita gente acha-lhe graça ou diz achar-lhe graça. Como não tem graça nenhuma, é muito triste".

"Claro que a parte vaidosa de mim fica surpreendida que tantas pessoas acreditem que eu seria capaz de ter e escrever uma piada tão violentamente desumana e grosseira. Felizmente, alguns comentadores têm denunciado a falsidade da citação. Mas são mais os que a aplaudem e me dão os parabéns", lamentou Miguel Esteves Cardoso, concluindo depois da seguinte forma: "Raios partam os reles aldrabões da Internet".

__________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network