Uso de máscaras não é obrigatório na Madeira”. Esta é a citação atribuída ao presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, na publicação em causa. A frase terá sido proferida em abril de 2020, quando a pandemia do novo coronavírus já estava em curso.

Não tem palavra”, acusa o autor da publicação, na medida em que a utilização de máscaras entretanto tornou-se obrigatória na generalidade dos espaços públicos da Região Autónoma da Madeira, mesmo na rua, desde o dia 1 de agosto. Mais, o arquipélago vai permanecer sob Estado de Calamidade até ao final deste mês.

Madeira covid coronavirus

Esta publicação foi denunciada como sendo falsa ou enganadora. Confirma-se?

A citação em causa foi recolhida a partir de um artigo do “Jornal de Notícias” (baseado em informação da Agência Lusa), datado de 16 de abril de 2020, com o seguinte título: “Miguel Albuquerque esclarece que uso de máscaras não é obrigatório na Madeira”.

De acordo com essa notícia, “o uso generalizado das máscaras que o Governo da Madeira vai distribuir na região, no âmbito da pandemia de Covid-19, não vai ser obrigatório, como chegou a anunciar o Executivo, mas recomendado, referiu esta quinta-feira à Agência Lusa a presidência. Segundo uma resposta do gabinete do presidente, Miguel Albuquerque, a utilização de máscaras pela generalidade da população não é obrigatória porque isso 'obrigaria a nova legislação'. O Executivo mantém, contudo, a recomendação de que as máscaras sejam utilizadas por todos”.

Alguns dias antes, a 6 de abril, Miguel Albuquerque tinha assumido que o uso obrigatório poderia ser aplicado depois do levantamento de algumas das medidas restritivas em vigor. “Numa fase posterior, à medida que as restrições à circulação forem sendo levantadas, penso que vamos ter que decretar possivelmente (…) um cenário onde o uso da máscara será obrigatório. Neste momento é prematuro falar disso. Mas a situação está equacionada”, afirmou então o presidente do Governo Regional

Em suma, a citação é verdadeira, embora tenha resultado de uma informação transmitida pelo gabinete de Miguel Albuquerque, em vez de uma frase proferida pelo próprio. Por outro lado, o governante já tinha avisado que “numa fase posterior” poderia vir a ser decretada a obrigatoriedade da utilização de máscaras.

__________________________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network