"Não são fotos da Holanda, são da Escola Secundária da Gafanha da Nazaré, onde cerca de 50% dos alunos vão de bicicleta para a escola. Um início forte do projeto BikeUp, promoção para o empreendedorismo". É assim que uma publicação divulgada a 23 de novembro, no Facebook, dá conta da grande aposta de uma escola portuguesa no que respeita à utilização de bicicleta por parte dos alunos.

gn

As fotografias, que acompanham a descrição, mostram um grande número de bicicletas estacionadas num parque a elas destinado. O Polígrafo foi confirmar os dados e falar com o responsável pelo projeto, António Rodrigues, que confirma desde logo a autenticidade dos registos fotográficos.

"Aqui na Gafanha da Nazaré, zona piscatória de bacalhau, há uma longa tradição ligada ao uso de bicicletas. Antigamente, principalmente as mulheres, iam para a seca do bacalhau de bicicleta, já que isto é uma zona plana", explica o responsável. Assim, continua, para a escola, que foi construída nos finais dos anos 80, muitos alunos vinham já de bicicleta, o que acabou por se tornar "uma moda".

Ainda assim, tudo se alterou quando, há cerca de cinco anos, a escola verificou que a frequência de utilização de bicicleta "estava a diminuir um pouco", já que "as famílias têm cada vez menos filhos e, portanto, pais e avós protegem mais os filhos do que antigamente". Desta forma, o projeto Gaf Bike "surgiu perante a necessidade de reavivar a ideia de vir de bicicleta para a escola".

créditos: © António Rodrigues

Foi instalada uma oficina, que repara as bicicletas dos alunos gratuitamente, e há ainda muito material que chega à escola através de doações: "Temos muita gente que nos dá coisas e bicicletas mais velhas que têm e nós, com os alunos, reparamos as bicicletas, damos a alunos que não têm - que são poucos aqui - e às vezes oferecemos até a instituições que precisam."

Na Escola Secundária da Gafanha da Nazaré há 600 lugares para bicicletas e, todos os dias, cerca de 350 a 400 lugares ficam preenchidos pelos transportes de alunos, professores e funcionários, tal como comprovam as fotografias remetidas por António Rodrigues.

créditos: © António Rodrigues

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network