No título indica-se que “membros do Governo de Portugal” supostamente “garantem” que Jair Bolsonaro, atual Presidente da República Federativa do Brasil, “não é bem-vindo”. Mas no primeiro parágrafo do texto deparamos logo com uma versão diferente: “Um dos partidos que forma o Governo de Portugal não quer que Bolsonaro venha a Portugal no próximo ano, como estava confirmado”.

Ainda assim, esta publicação com origem na página "Morar em Portugal" está a espalhar-se nas redes sociais como se fosse uma notícia factual, motivando comentários indignados da parte de internautas brasileiros. E também alguns desmentidos, sobretudo da parte de portugueses. Ora, na sequência de várias denúncias sobre esta publicação, no âmbito da parceria entre o Polígrafo e o Facebook efetuamos uma verificação de factos.

À medida que o texto se desenvolve, torna-se cada vez mais notória a falsidade do título desta publicação. “O Bloco de Esquerda (BE) considerou hoje inaceitável a visita a Portugal do presidente do Brasil, defendendo que o Governo português deve cancelar porque Jair Bolsonaro ‘não é bem-vindo’ ao país e mostra ‘constante desrespeito’ pela democracia”, lê-se no segundo parágrafo.

Ou seja, os alegados “membros do Governo” consistem afinal em dirigentes do BE, partido que apoia o atual Governo em funções (liderado pelo PS), através de um acordo de incidência parlamentar, mas que não faz parte integrante desse mesmo Governo.

A publicação em análise baseia-se numa notícia da Agência Lusa, de 1 de agosto de 2019, com o seguinte título: “BE quer cancelamento da visita de Bolsonaro a Portugal porque 'não é bem-vindo'”.

“Numa nota do BE a que a Agência Lusa teve acesso, o partido começa por se referir a afirmações de Jair Bolsonaro 'a propósito da morte do ativista estudantil e militante político Fernando Santa Cruz, dado como desaparecido em 1974, em plena ditadura militar naquele país'”, informa a Agência Lusa. “'Sabendo-se que está em preparação uma visita oficial do presidente da República do Brasil a Portugal, prevista para o início de 2020, o BE considera que esta, a concretizar-se, sinalizaria ao povo irmão do Brasil que o Governo português é conivente com o constante desrespeito à democracia demonstrado pelo atual Governo', critica”.

“Por isso, os bloquistas consideram 'inaceitável a realização desta visita', deixando claro que 'Jair Bolsonaro não é bem-vindo a Portugal e o Ministério dos Negócios Estrangeiros deve cancelar a visita o quanto antes'”, salienta-se na notícia.

Concluindo, o título da publicação é falso e acaba por ser desmentido no próprio texto. Aliás, no mesmo dia em que a posição do BE sobre a eventual visita de Bolsonaro a Portugal foi noticiada, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva (de facto, um “membro do Governo”), reagiu em declarações à TSF que passamos a transcrever: "Eu não consigo cancelar viagens que não estão programadas. O ministro das Relações Exteriores do Brasil com quem eu me reuni no Mindelo, no mês passado, disse que, do ponto de vista deles, eles trabalhariam no sentido de a cimeira se poder realizar tão cedo quanto possível em 2020. Daí a poder dizer-se que está a ser programada uma viagem do presidente Bolsonaro a Portugal vai uma grande distância”.

***

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações "falso" ou "maioritariamente falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network