Já passaram vários meses desde que a Covid-19 se tornou uma realidade, mas ainda continua a ser profusamente partilhada muita desinformação sobre o tema, sobretudo nas redes sociais.Recentemente foi divulgado um vídeo que supostamente exibe o momento em que uma mulher contaminada pelo coronavírus dá à luz um bebé dentro da bolsa amniótica. A acompanhar este vídeo surge a informação de que esta técnica pretendia proteger o bebé de ser também contaminado.

As publicações começaram por ser feitas em espanhol– em várias plataformas –, mas rapidamente foram traduzidas para português. Em ambas as línguas, as descrições partilham a mesma ideia: a mãe está infetada com coronavírus e os “médicos tiraram o bebé na bolsa sem estourar, para não contaminar o recém-nascido”.

Será verdade?

O vídeo do parto é real, mas a informação que o acompanha é falsa. Nas imagens não está representado o parto de uma mulher com Covid-19 nem esta é uma técnica utilizada para proteger o bebé.

A primeira falsidade da publicação em análise está relacionada com a data do vídeo. A captação original data de 8 de janeiro e aconteceu no hospital de San Vicente de Paúl, em Heredia. Nessa altura não tinha sido identificado nenhum caso de Covid-19 na Costa Rica. O primeiro caso confirmado foi a 6 de março e a primeira mulher infetada deu à luz a 25 de abril, perto da data em que o vídeo começou a circular. Já nessa altura, uma publicação local afirmou que o vídeo que circulava como sendo o parto de uma mulher contaminada era falso.

A mulher que vemos nas imagens no momento do parto chama-se Verónica Salazar, não tem Covid-19 e teve as suas filhas gémeas no hospital de San Vicente. “O vídeo foi feito pelos próprios funcionários do hospital porque ficaram impressionou com o facto de a bebé nascer com o saco amniótico intacto,”, explicou a AFP  num artigo de fact-checking sobre o tema.

Tanto Verónica como o marido sentem-se “bastante incomodados” com a publicação do vídeo, principalmente por estar associado a uma informação que é falsa. “Sinto que era algo muito pessoal nosso e incomoda-me muito o facto de nem saber quem foi a pessoa que se atreveu a publicá-lo sem o nosso consentimento”,  afirmou a mãe.

Tanto Verónica como o marido sentem-se “bastante incomodados” com a publicação do vídeo, principalmente por estar associado a uma informação que é falsa. “Sinto que era algo muito pessoal nosso e incomoda-me muito o facto de nem saber quem foi a pessoa que se atreveu a publicá-lo sem o nosso consentimento”,  disse a mãe, acrescentando que “saber que o vídeo anda por todo o lado e saber que anda com uma informação completamente falsa, dói muito”.

Normalmente a bolsa amniótica rebenta no momento do parto. No entanto, em alguns casos a bolsa não chega a rebentar. Segundo um estudo realizado por especialistas do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Southside, em Nova Iorque, um em cada 80.000 partos ocorre sem rebentar a bolsa amniótica. Este estudo foi publicado em abril de 2018, muito antes da pandemia de Covid-19. Não é, por isso, um processo que se utilize por a mãe estar contaminada por Covid-19, como sugerem as publicações.

A Direção-Geral da Saúde avança que “ainda não se sabe se uma mulher grávida com COVID-19 pode transmitir o vírus que causa o COVID-19 ao feto ou ao recém-nascido por outras vias de transmissão vertical (antes, durante ou após o parto)” e acrescenta que “o vírus não foi detetado em amostras de líquido amniótico, sangue do cordão ou leite materno”. A mesma informação é partilhada pela Organização Mundial de Saúde.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network