O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Marta Temido: “Ucrânia seria o quinto maior país da União Europeia”

Política
O que está em causa?
Integração da Ucrânia na União Europeia? Em entrevista à TVI e CNN Portugal, ontem à noite, a cabeça-de-lista do PS nas eleições para o Parlamento Europeu advertiu que será necessário "cumprir os critérios" e implicará uma "preparação do lado da União Europeia", porque a Ucrânia "é uma potência agrícola" e "em termos de população, seria o quinto maior país".

Na atual versão de candidata ao Parlamento Europeu, como cabeça-de-lista do PS, naturalmente que as perguntas dirigidas a Marta Temido passam a focar-se mais em temas de política internacional ou comunitária, em vez da política local de Lisboa (há cerca de seis meses tinha dito que “gostava de ser autarca” e assumido que poderia avançar com uma candidatura à presidência da Câmara Municipal de Lisboa) ou do setor da Saúde.

Foi essa a principal novidade de uma entrevista transmitida ontem à noite na TVI e CNN Portugal em que, ainda assim, só se notou um tom mais assertivo na parte final, quando foi questionada sobre o “caso das gémeas” e as falhas do Serviço Nacional de Saúde que levaram à sua demissão do cargo de ministra da Saúde.

Quanto à política internacional, predominou a cautela, desde logo no que respeita à guerra na Ucrânia e putativa integração desse país na União Europeia. “Há um processo de eventual integração que tem de ser cumprido, em termos de critérios. Mesmo que não fosse essa circunstância do conflito, teria que cumprir os critérios necessários para a adesão”, ressalvou desde logo.

A par do cumprimento de determinados critérios, Temido sublinhou que “do lado da União Europeia, a integração de novos países – e são vários os candidatos neste momento -, é evidente que é o caminho a seguir, é um compromisso, mas é um compromisso que implica um processo de preparação”. Na medida em que “não é a mesma coisa termos uma União a 27 ou temos uma União a 30 ou 35“.

Nesse sentido, a cabeça-de-lista do PS apontou para outras dificuldades além da guerra em curso, nomeadamente “aquilo que significa” a integração de um país que “é uma potência agrícola” e “em termos de população, seria o quinto maior da União Europeia“.

Esta última alegação tem fundamento?

De acordo com estimativas recentes, a população residente da Ucrânia decresceu de cerca de 41 milhões de pessoas no início da guerra em 2022 para cerca de 33 milhões de pessoas em 2024.

Tomando como referência o nível populacional de 2022, apenas seria inferior em relação a quatro Estados-membros da União Europeia (com base em dados do Eurostat), a saber: Alemanha (83,2 milhões), França (67,9 milhões), Itália (59 milhões) e Espanha (47,4 milhões).

Com o decréscimo provocado pela guerra, a população da Ucrânia passou a ser também inferior à da Polónia (37,7 milhões). Mas tenderá a ser uma situação transitória, dependendo do retorno de milhões de refugiados ucranianos, pelo que classificamos a alegação de Temido como verdadeira.

________________________________________

UE

Este artigo foi desenvolvido pelo Polígrafo no âmbito do projeto “EUROPA”. O projeto foi cofinanciado pela União Europeia no âmbito do programa de subvenções do Parlamento Europeu no domínio da comunicação. O Parlamento Europeu não foi associado à sua preparação e não é de modo algum responsável pelos dados, informações ou pontos de vista expressos no contexto do projeto, nem está por eles vinculado, cabendo a responsabilidade dos mesmos, nos termos do direito aplicável, unicamente aos autores, às pessoas entrevistadas, aos editores ou aos difusores do programa. O Parlamento Europeu não pode, além disso, ser considerado responsável pelos prejuízos, diretos ou indiretos, que a realização do projeto possa causar.

________________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque