"Na Alemanha o Governo subiu o preço dos combustíveis. Em apenas uma hora, as pessoas abandonaram os seus carros nas ruas e avenidas e foram a pé para casa. Mais de um milhão de carros abandonados. Tiveram que baixar o preço. Quando o povo é inteligente os corruptos não conseguem concretizar os seus objetivos", lê-se num post partilhado no Facebook, datado de 10 de setembro.

Os jornais de fact-checking  Snopes e Aos Fatos já verificaram esta imagem e a respetiva descrição e concluíram que aquilo está em causa não é um protesto contra o aumento dos custo dos combustíveis na Alemanha.

Através da aplicação TinEye é possível perceber que a imagem circula em várias redes sociais e notícias há vários anos, pelo menos desde 2014, portanto é certo que não se trata de um acontecimento atual.

  • Fotografia de "cemitério" de carros elétricos na China é autêntica?

    "Um imenso cemitério de automóveis, todos idênticos e imundos, abandonados aos milhares num estacionamento, como símbolo de mais uma bolha de consumo que explode deixando um rastro de desperdício e poluição", lê-se numa das publicações amplamente partilhadas nas redes sociais. As imagens são autênticas?

A fotografia partilhada pode ser encontrada no banco de imagens Shutterstock com a seguinte descrição em língua inglesa: "Caos no trânsito durante o Mid-Autumn Festival e as celebrações do Dia Nacional da China, a 30 de setembro de 2012. Pessoas param ao lado dos seus carros durante engarrafamento na cidade de Shenzhen, província chinesa de Guangdong."

Na imagem é possível identificar placas de trânsito em mandarim, mais uma prova de que foi captada na China e não na Alemanha.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network