O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Ligação ferroviária entre Lisboa e Madrid vai “passar de 13 para nove horas e de três trocas de comboio para duas”

Sociedade
Este artigo tem mais de um ano
O que está em causa?
Destaca-se em recente publicação no Facebook uma "grande melhoria da CP", em tom de ironia, na medida em que "os 600 quilómetros ferroviários de Lisboa-Madrid vão passar de 13 para nove horas e de três trocas de comboio para duas, em Portugal, já que de Badajoz para Madrid é direto". Confirma-se?

“Que grande melhoria da CP. Os 600 quilómetros ferroviários de Lisboa-Madrid vão passar de 13 para nove horas e de três trocas de comboio para duas, em Portugal, já que de Badajoz para Madrid é direto… Mas o importante é derreterem-se milhões no TGV Lisboa-Porto. Viva o paraíso socialista de António Costa”, lê-se no post de 1 de outubro no Facebook, remetido ao Polígrafo com pedido de verificação de factos.

Importa começar por salientar que as duas ligações ferroviárias entre Lisboa e Madrid – os comboios internacionais “Sud Expresso” e “Lusitânia Comboio Hotel” – estão suspensas desde o início da pandemia de Covid-19, mais precisamente desde o dia 17 de março de 2020 – “até aviso em contrário” e “na sequência das decisões implementadas pelo Governo espanhol”, indica-se na página da CP – Comboios de Portugal.

Entretanto, a 14 de setembro de 2022, após vários anúncios que acabaram por não se concretizar ou ser adiados, o jornal “Eco” noticiou que vai finalmente avançar uma nova ligação ferroviária entre Lisboa e Madrid, aliás encurtando a duração da viagem de 13 para cerca de nove horas, a partir do próximo dia 9 de outubro.

“Passarão a ser necessários três (em vez de quatro) comboios para a viagem entre Lisboa e Madrid, num tempo total de oito horas e 48 minutos; no percurso inverso, a deslocação demorará nove horas e 30 minutos”, detalha-se no artigo.

“De Lisboa para Madrid é preciso apanhar o Intercidades a partir de Santa Apolónia, pelas 12h30, com chegada ao Entroncamento pelas 13h29. É do Entroncamento que, sete minutos depois, sai o comboio regional até Badajoz, com chegada pelas 17h26 (hora espanhola). Em território espanhol, pelas 17h36, parte o comboio Intercity da Renfe, com chegada às 22h18 à estação de Madrid-Chamartín”, informa o referido jornal. “Da capital espanhola para a portuguesa, o comboio Intercity parte de Chamartín pelas 8h30 (hora espanhola), chegando às 13h24 a Badajoz. Pelas 14h09 segue o comboio regional da CP, com chegada ao Entroncamento pelas 15h52 (hora portuguesa). Oito minutos depois, o Intercidades sai do Entroncamento e termina viagem em Santa Apolónia pelas 17h00”.

No entanto, a ligação entre Lisboa e Madrid não estará disponível aos fins-de-semana.

Num longo texto em que se reflete sobre o estado da nação, com enfoque no declínio do transporte ferroviário, destaca-se o exemplo da ligação entre Beja e Faro que implica "subir quase a Lisboa para voltar para baixo", "apanhar três comboios" e "duas escalas". Verificação de factos.

Quanto ao propalado “TGV Lisboa-Porto”, na cerimónia de apresentação da Linha de Alta Velocidade Porto-Lisboa, a 28 de setembro, o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, garantiu que “depois de décadas de desinvestimento na ferrovia, de encerramento de linhas e de prioridade à rodovia e ao transporte individual que nos trouxeram a uma enorme dependência do automóvel, estamos a levar a cabo uma revolução“.

“Isto é, verdadeiramente, uma mudança de paradigma na forma como o serviço ferroviário se relaciona com o passageiro. (…) Com esta nova linha, colocamos as nossas duas Áreas Metropolitanas a pouco mais de 1h15 de distância. Colocamos Aveiro, Coimbra, Leiria e todo o eixo entre Braga e Setúbal, onde vivem cerca de 8 milhões de pessoas, a pouco mais de duas horas de viagem entre si”, enalteceu.

________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque