Em comunicado emitido ontem, dia 17 de maio, a direção da Liga Portugal informou ter "decidido que a última jornada da Liga NOS não terá público em testes-piloto, como chegou a ser uma possibilidade".

"Os membros da direção deliberaram, por unanimidade, não estarem reunidas as condições para a reatização dos referidos testes e, em consequência, não autorizar a respetiva realização. Com efeito, (…) na incerteza, que permanece, sobre as condições que as autoridades de saúde poderão vir a fixar, seria impossível preparar um plano de implementação a um dia da realização dos jogos", salienta-se no documento assinado por Pedro Proença, presidente da Liga Portugal.

"A esta ponderosa razão acresce a circunstância de, ao contrário do defendido pela Liga Portugal, a penúltima jornada não ter tido público nos estádios. Ora, com diversos objetivos desportivos ainda em aberto, permitir que apenas uma parte das equipas pudessem ter o seu púbtico presente nesta jornada decisiva, constituiria uma grave entorse à verdade desportiva e à equidade entre os competidores", fundamenta-se.

Recorde-se que, no dia 12 de maio, a Liga Portugal tinha anunciado que os jogos da última jornada da Liga NOS iriam "ter público nas bancadas, sendo autorizada a presença de 10% da lotação dos estádios".

Afinal não vai ser autorizada a presença de adeptos nas bancadas e mantém-se assim essa restrição até ao final da competição. O futebol português é um caso excepcional nesta matéria? O Polígrafo verifica o que acontece nas principais ligas europeias.

Começando pela Primeira Liga inglesa, o plano de desconfinamento do Reino Unido permite a presença de um máximo de 10 mil espectadores nos estádios a partir de ontem, dia 17 de maio. Por essa razão, segundo noticiou o jornal "The Guardian" a 5 de maio, a Primeira Liga inglesa decidiu então adiar as duas últimas jornadas para datas posteriores a esse limite determinado pelas autoridades - a penúltima vai ser jogada a meio desta semana e a última está marcada para o próximo domingo.

No entanto, entre os 10 mil espectadores permitidos por cada estádio não estará nenhum adepto da equipa visitante. "Após consultar os clubes foi acordado que os jogos não serão abertos aos adeptos visitantes, devido aos vários desafios operacionais em toda a Liga e à necessidade de assegurar uma abordagem consistente, ao mesmo tempo que se maximiza a oportunidade de participação dos adeptos das equipas da casa", anunciou a Primeira Liga inglesa.

Também o jogo final da Taça de Inglaterra em futebol, disputado no dia 15 de maio, recebeu adeptos nas bancadas do Estádio de Wembley, Londres. Importa aqui salientar que o jogo final da Taça de Portugal, agendado para o dia 23 de maio, em contraste, não terá adeptos nas bancadas.

  • Fazer "guarda de honra" ao campeão nacional "não é normal" nem tradição no futebol português?

    "Não é por mim, é pelo que é tradição no futebol português. Já venci três vezes e ninguém me fez guarda de honra. Isso não é normal. O normal é dar os parabéns, que é aquilo que já fiz. O resto é o jogo e não mais do que isso", declarou ontem o treinador do SL Benfica, Jorge Jesus, enjeitando a hipótese de conceder "guarda de honra" no jogo de hoje frente ao novo campeão nacional, Sporting CP, no Estádio da Luz.

Em Espanha, os adeptos já regressaram aos estádios, mas não a todos. O Governo espanhol permitiu que as últimas duas jornadas dos dois principais campeonatos de futebol profissional, assim como da principal liga de basquetebol, tivessem público. Contudo, esse regresso só foi autorizado em determinadas regiões (ou comunidades autónomas), especificamente na Galiza, Estremadura, Valência, Baleares e Múrcia.

Assim sendo, na penúltima jornada da Liga Espanhola de futebol, disputada no último domingo, apenas os jogos em casa do Valência CF e do Villarreal CF - ambas da região de Valência - tiveram adeptos nas bancadas. A lista de regiões autorizadas a permitir adeptos pode ser alterada antes da última jornada que se jogará no próximo-fim-de-semana.

Relativamente à última jornada da Liga Alemã de futebol, apenas um jogo terá adeptos. Mediante uma decisão das autoridades da cidade de Berlim, o Union Berlin vai poder ter 2.000 adeptos no estádio na última jornada do campeonato. Assim, a partida entre o Union Berlin e o RB Leipzig será a primeira a ter público na Alemanha, desde outubro de 2020. Esse jogo vai ser disputado no proxímo sábado.

Na Itália não serão permitidos adeptos nas bancadas até ao final da presente edição da Série A. O único jogo com adepto será a final da Taça de Itália que vai ser disputada amanhã, dia 19 de maio, entre Juventus e Atalanta. Nesse jogo poderão estar cerca de 4.300 adeptos.

Em França, a última jornada da Liga 1 de futebol vai ter adeptos nos estádios. O Presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou em conferência de imprensa que, a partir de amanhã, os jogos de futebol poderão ter, no máximo, 800 espectadores em áreas internas e 1.000 em áreas externas. A medida abrange a última jornada do campeonato que vai ser disputada no próximo fim-de-semana. A presença de público nos estádios franceses estava interditada desde novembro de 2020.

Por fim, nos Países Baixos não vai haver público nas bancadas nas últimas jornadas da Primeira Divisão. O anúncio foi feito pela própria Federação Holandesa de Futebol no dia 7 de maio.

__________________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network