"Querem melhor exemplo de que esta Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) é uma ofensa aos próprios Bombeiros? Quer dizer, andamos todos no combate à pandemia durante dois anos, e agora tenho que pagar 12 euros (mais IVA) por uma 'medalha' que 'homenageia o trabalho dos Bombeiros'? Mas que palhaçada é esta?", questiona-se numa publicação no Facebook, datada de 6 de janeiro.

A imagem mostra outra publicação, alegadamente da autoria da LBP, em que se dá conta da disponibilidade da medalha de gratidão Covid-19 com o "valor unitário de 12 euros+IVA" para "homenagear os bombeiros das associações e corpos de bombeiros que participaram na intervenção em defesa das populações no âmbito da Covid-19".

Contactado pelo Polígrafo, António Nunes, presidente da LBP confirma a autenticidade da publicação que está a ser partilhada nas redes sociais. "Trata-se de um post que foi mal elaborado em termos de texto e foi retirado no devido tempo das redes sociais", garante.

"A LBP criou de facto uma medalha de gratidão Covid-19, que tem duas formas de chegar. Uma é a atribuição direta às associações e aos corpos de bombeiros para a sua colocação no estandarte e essa é feita de forma gratuita a todos as corporações que tenham estado envolvidas em operações relacionadas com a Covid-19", esclarece o presidente.

O segundo meio de atribuição do distintivo "de campanha" é a atribuição das corporações aos respetivos bombeiros. "Nesses casos são aplicadas regras similares às das medalhas de assiduidade, ou seja, às medalhas comemorativas de 5, 10 ou 15 anos de serviço, que também têm um custo, mas nunca para os bombeiros e sim para as entidades que as solicitam - associações e corporações", informa António Nunes.

Segundo o presidente, "é necessário analisar dentro das corporações quem esteve envolvido na operação Covid-19 ou não". Depois disso, a corporação tem que fazer o respetivo pedido. Questionado sobre a possibilidade de um bombeiro adquirir a medalha por iniciativa própria, indica que tal só é possível se a insígnia já lhe tiver sido atribuída e, por exemplo, ele a perder e quiser substituí-la.

Assim, segundo António Nunes, esteve em causa um erro assumido pela LBP, que publicou nas suas redes sociais conteúdo sobre a medalha "aberto a interpretação". "Já tinha sido feita uma circular interna sobre como proceder ao respetivo pedido, através dos comandantes e vai agora ser feita uma explicação exaustiva às entidades para que a situação fique esclarecida", afirma.

Em suma, é verdade que a Liga dos Bombeiros Portugueses anunciou, através das suas redes sociais, que está a disponibilizar medalhas de homenagem aos profissionais envolvidos no combate à Covid-19. No entanto, o custo associado não será cobrado aos bombeiros de forma individual, mas sim às corporações que pretendam galardoar os respetivos profissionais.

_____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network