Esta terça-feira, dia 24 de maio, o ataque na escola primária norte-americana Robb, no Texas, ficou registado como o quarto pior tiroteio na história dos Estados Unidos da América (EUA). No total, 19 crianças e duas professoras perderam a vida num ataque levado a cabo por um atirador de 18 anos, Salvador Ramos, abatido pela polícia.

No Facebook, uma utilizadora norte-americana assinalou um dado estatístico relacionado com o aumento dos tiroteios em massa no país, afirmando que, alegadamente, "aumentaram 95% desde 2017".

A informação é verdadeira, apesar de existirem várias definições e classificações do que é um tiroteio em massa nos EUA, tal como explica o "Lead Stories". De acordo com a organização Gun Violence Archive(GVA), um tiroteio em massa é definido como tal quando pelo menos quatro indivíduos são baleados num incidente - feridos ou mortos - sem incluir o atirador.

A GVA é uma instituição norte-americana sem fins lucrativos que funciona como um "arquivo online de incidentes de violência armada recolhidos a partir de mais de 7.500 fontes policiais, dos media, Governo e comerciantes diariamente, num esforço para fornecer dados quase em tempo real sobre os resultados da violência armada". Segundo a organização, que regista o número de tiroteios em massa nos EUA desde 2014, verificou-se um aumento de 98,9% nos tiroteios em massa no país entre 2017 e 2021.

Este arquivo listava, em 2017, 348 tiroteios em massa, número que duplicou em 2021, com um registo de 692 ataques. Entre 2019 e 2020 registou-se um aumento significativo na ocorrência deste tipo de ataques, de 417 para 610.

O FBI registou um aumento percentual semelhante para incidentes de atiradores ativos, que aumentou 96,8% de 2017 a 2021. Porém, o FBI não considera incidentes com atiradores ativos e assassinatos em massa nas mesmas estatísticas. O departamento federal de investigação norte-americano define um atirador ativo enquanto um "indivíduo ativamente intencionado em matar ou tentar matar pessoas numa área povoada".

"Em 2021, o FBI designou 61 tiroteios como incidentes de atiradores ativos. Nesses incidentes, 103 pessoas morreram e 140 ficaram feridas, excluindo os atiradores. Para o período de 2017 a 2021, os dados de incidentes de atiradores ativos revelam uma tendência ascendente. O número de incidentes de atiradores ativos identificados em 2021 representa um aumento de 52,5% em relação a 2020 e um aumento de 96,8% em relação a 2017", destaca-se no comunicado emitido pela unidade policial, no dia 23 de maio.

Em suma, apesar de as duas definições de tiroteio em massa entre as duas fontes consultadas variarem significativamente, a verdade é que segundo ambas registou-se um aumento superior a 95% no número de ataques deste tipo no EUA entre 2017 e 2021.

_____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network