"O Governo alemão sugere ao seu povo que guarde comida para 10 dias! Parece-me um aviso sensato!", comenta o autor de uma publicação no Facebook, de 2 de junho. O post não inclui mais informação sobre a suposta medida, os motivos que a sustentam nem quando esta foi aconselhada aos alemães.

Será verdade?

A recomendação ou conselho do Governo da Alemanha é verdade e foi transmitido pela ministra do Interior, Nancy Faeser, numa entrevista ao jornal "Handelsblatt", publicada a 1 de maio de 2022. "Tornou-se claro para nós que temos de melhorar no que diz respeito à proteção civil. Temos de nos atualizar para fazer face às várias crises - pandemias, mudanças climáticas, ameaças de guerra", disse a governante.

Isso implica, sublinhou ainda, "aprovisionar comida, medicamentos e utensílios médicos porque é definitivamente útil ter um kit de emergência em casa". "Pensem, por exemplo, em ataques cibernéticos em infraestruturas críticas. Se a energia acabar por um longo período de tempo ou a vida diária for restrita de alguma outra forma, faz sentido ter um armazenamento de emergência em casa”, disse.

Na entrevista, Nancy Faeser referiu ainda que o Governo está a realizar um inventário relativo ao número de abrigos no país e que faz sentido reativar alguns (há atualmente 599).

"Tornou-se claro para nós que temos de melhorar no que diz respeito à proteção civil. Temos de nos atualizar para fazer face às várias crises - pandemias, mudanças climáticas, ameaças de guerra", disse a governante.

A ministra aconselhou ainda os cidadãos a terem por base a lista disponível no site oficial da Proteção Civil da Alemanha, que inclui um "cabaz de emergência" de alimentos suficientes para uma pessoa durante 10 dias, além de recomendações para o armazenamento de alguns medicamentos essenciais. Por exemplo, a lista refere: 20 litros de água, 3,5 quilos de cereais, pão, massa e batatas, 4 quilos de vegetais e feijões, 1,5 quilos de carne, peixe, ovos, 2,5 quilos de fruta e frutos secos, etc.

No site da Proteção Civil pode ainda ler-se que “em caso de 'apagão' ou falta de energia em grande escala, os supermercados e postos de gasolina permanecem fechados. O frigorífico e a arca frigorífica também falham e, dependendo das condições, não sai água potável da torneira. Uma reserva de alimentos e bebidas é bastante útil até chegar a ajuda governamental”.

Não é a primeira vez que esta recomendação é dada aos alemães. Em 2016, pela voz do então ministro do Interior, Thomas de Maizière, a população foi aconselhada a ter reservas de alimentos e de água em caso de conflito, catástrofe ou ataques diversos que possam pôr em causa as redes de abastecimento normal.

__________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network