O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Letónia, Lituânia e Polónia estão a levantar as sanções aplicadas contra a Rússia?

União Europeia
O que está em causa?
A proximidade geográfica à Rússia e os maiores pontos de contacto entre as respetivas economias fizeram das sanções da União Europeia (UE) a Moscovo um desafio ainda maior para alguns dos seus Estados-membros, como a Estónia, Letónia, Lituânia ou Polónia. Será que alguns deles querem agora recuar ou “furar” essas punições?
© Shutterstock

A Lituânia , a Letónia e a Polónia estão a levantar as sanções contra a Rússia”. Este é o essencial da citação de um vídeo que foi divulgado nas redes sociais, segundo o Delfisite noticioso dos países bálticos (Estónia, Letónia e Lituânia) –, que apresenta um fac-símile da publicação efetuada no TikTok, mas oculta o nome do utilizador e o link original, seguindo a sua política editorial neste tipo de situações.

A referida publicação, ainda conforme a citação do Delfi, demonstra da seguinte forma a alegada quebra na punição à Rússia: “O Primeiro-Ministro da Letónia afirmou que o país não vê sentido em prorrogar a proibição da importação de cereais, jóias e outros bens russos, uma vez que esta será apenas uma proibição no papel e os bens serão fornecidos através de outras rotas. Polónia e Lituânia já apoiaram a Letónia”.

Estas declarações foram mesmo proferidas? Confirma-se a intenção de deixar cair as sanções a Moscovo?

A pesquisa pelo parágrafo mencionado permite localizar várias notícias sobre um determinado evento e perceber o que, de facto, aconteceu. No dia 23 de janeiro, em entrevista a um canal de televisão da Letónia (TV3), a chefe do Governo letão, Evika Silina, defendeu que “não fazia sentido” que o seu país “introduzisse sozinho medidas contra as importações de cereais da Rússia”, já que “restrições de âmbito unilateral não atingirão o objetivo”.

Ou seja, a Primeira-Ministra da Letónia defendeu que as sanções/limitações deveriam ser estendidas (efetivamente cumpridas) a outros países, usando até uma figura de estilo (“proibição no papel”) para explicar que “os cereais da Rússia para a União Europeia e para a própria Letónia fluirão por outras rotas”.

Este alerta surge na sequência de acusações recíprocas entre a Letónia e a Lituânia de que aqueles cereais estariam a circular através dos respetivos portos, lamentando os dois países que tal acontecesse. A Polónia não se pronunciou sobre esta questão, nem se conhece qualquer declaração na imprensa ou posicionamento institucional daquele país sobre um alívio ou levantamento das sanções.

Recorde-se que, desde a agressão da Rússia à Ucrânia (fevereiro de 2022), a UE já aprovou e aplicou 13 pacotes de sanções ao país liderado por Vladimir Putin.

É assim falso que Lituânia, Letónia ou Polónia já estejam ou sequer queiram aliviar as sanções à Rússia. Pelo contrário, no caso da Lituânia e da Letónia a discussão vai no sentido de como tornar mais eficaz a aplicação desses embargos, evitando “pontos de fuga”.

__________________________________

UE

Este artigo foi desenvolvido pelo Polígrafo no âmbito do projeto “EUROPA”. O projeto foi cofinanciado pela União Europeia no âmbito do programa de subvenções do Parlamento Europeu no domínio da comunicação. O Parlamento Europeu não foi associado à sua preparação e não é de modo algum responsável pelos dados, informações ou pontos de vista expressos no contexto do projeto, nem está por eles vinculado, cabendo a responsabilidade dos mesmos, nos termos do direito aplicável, unicamente aos autores, às pessoas entrevistadas, aos editores ou aos difusores do programa. O Parlamento Europeu não pode, além disso, ser considerado responsável pelos prejuízos, diretos ou indiretos, que a realização do projeto possa causar.

__________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque