O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Lei islâmica “Sharia” está a ser imposta em Londres por causa da “imigração descontrolada”?

Internacional
O que está em causa?
Nas redes sociais está a ser difundido um vídeo, aparentemente com origem numa reportagem da BBC, com uma mensagem polémica. Alega-se que em Londres há zonas controladas pela lei "Sharia", tendo esta mensagem motivado uma publicação de um antigo embaixador português no LinkedIn. Este questiona a "imposição da lei da 'Sharia'" e associa isso à "imigração descontrolada". Verdade ou falsidade?

Imposição da Lei da Sharia? Imigração descontrolada, potencialmente é isto que também nos espera e as águas já começam a agitar-se. Não vale a pena esconder a cabeça na areia como o avestruz. Os primeiros contingentes já aqui chegaram ou ainda há dúvidas?”, começa por destacar Francisco Henriques da Silva, que exerceu as funções de embaixador na Guiné-Bissau, Costa do Marfim, Índia, México, Burkina Faso e Hungria, num post feito no LinkedIn.

O antigo embaixador continua ainda: “São necessários à nossa economia, são necessários para equilibrar a nossa segurança social, são necessários para colmatar o nosso défice demográfico. Pois é, mas a nossa identidade cultural e a nossa idiossincrasia estão a ser postas em causa e, a prazo, correm o risco de eliminação.”

Ao mesmo tempo que expõe esta alegação, partilha um vídeo, aparentemente com origem numa reportagem da BBC, com menos de quatro minutos. Esse mesmo vídeo tem sido difundido numa conta de TikTok e X chamada “HJB News“. O nome poderia evidenciar tratar-se de um jornal ou orgão de comunicação social, mas o Polígrafo não identificou nada que sustentasse a página como fonte de informação credível.

Será então verdade que a Lei Sharia está a ser imposta em Londres?

Não se encontra a reportagem da BBC em causa, mas há notícias da BBC que remontam a 2011, e falam de Anjem Choudary, um homem “perigoso” que liderou o grupo extremista islâmico “Islam4UK” (banido em 2010), o qual tentava impor a lei islâmica em território do Reino Unido.

Uma outra notícia do jornal britânico “Daily Mail“, de julho e 2011, relata que “extremistas islâmicos declararam a primeira zona britânica controlada pela lei “Sharia”. Nessa altura, foram distribuídos cerca de “20 mil panfletos” que diziam o seguinte: “Está a entrar numa zona controlada pela lei ‘Sharia’. Regras islâmicas serão aplicadas.”

Os referidos panfletos são exibidos no excerto de reportagem da BBC partilhada nas redes sociais, mas, como se percebe, trata-se de uma notícia com mais de uma década que visava um grupo islâmico banido um ano antes. Mais, Anjem Choudar é o mesmo homem que é entrevistado na reportagem da BBC. Este foi preso no Reino Unido em 2016 por encorajar o apoio ao Estado Islâmico e libertado em 2018, depois de cumprir metade da sua pena de cinco anos e meio. Em julho de 2023, foi novamente preso e acusado de três crimes de atos terroristas.

Quanto à lei “Sharia”, existem grupos islâmicos reunidos num sistema auto-proclamado de tribunais – denominados “Conselhos Sharia” – no Reino Unido, mas não têm jurisdição legal. Segundo um estudo sobre a lei “Sharia” do Governo britânico, publicado em 2018, estes “Conselhos ‘Sharia'” são grupos locais voluntários que oferecem conselhos aos muçulmanos, geralmente sobre casamento religioso e divórcio e outras vertentes relacionadas com a religião.

Ou seja, a lei “Sharia” não se sobrepõe à legislação nacional que prevalece sobre “quaisquer decisões ou recomendações” que sejam contrárias às leis do Reino Unido.

_____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque