A citação tem aparecido, por diversas vezes, em forma de meme: “No fim de contas, eu acredito que a minha geração vai surpreender toda a gente. Já sabemos que ambos os partidos políticos estão a jogar para os dois lados, a partir do centro, e nós vamos eleger uma pessoa que esteja de fora, quando atingirmos a maturidade plena. Não ficaria surpreendido se fosse um homem de negócios, que não pode ser comprado, e que saiba o que é certo para as pessoas. Alguém como Donald Trump, por mais estranho que isso possa parecer”. As palavras são atribuídas a Kurt Cobain, um dos fundadores, e vocalista, da banda Nirvana. Tê-las-á dito em 1993, um ano antes de morrer.

Uma breve pesquisa num qualquer motor de busca desvenda que a revelação não é nova. Circula na Internet desde 2016, e tem surgido através de textos publicados nas redes sociais ou através de imagens que associam as frases a uma fotografia do músico. Algumas das publicações têm dezenas de milhares de partilhas, mas nenhuma indica de a origem da citação. Há apenas uma data a localizar as palavras, o ano de 1993.

Cobain

É certo que em 92, numa entrevista a um jornalista argentino, o músico disse que preferia ver tornar-se presidente dos Estados Unidos uma pessoa que não fosse um político profissional. Porém, Cobain era muito claro acerca do que pensava sobre magnatas, por exemplo, Ross Perot, candidato por duas vezes à presidência dos Estados Unidos, uma delas naquele ano: “O homem é uma porcaria. Ele é rico, não acredito nele como presidente”.

Quem seguiu de perto a carreira e a vida do músico, também sabe que dificilmente Cobain faria uma afirmação deste género em relação a Trump, uma vez  que sempre foi conhecido pelas suas posições contra os ricos e o capitalismo. Prova disso é uma t-shirt com que apareceu na capa da revista Rolling Stone, também em 1992. Nela, estava estampada a frase “as revistas ligadas a empresas continuam uma porcaria”.

As evidências são muitas, e o site de verificação de notícias “PolitiFact” sublinha-as num fact-check que fez ao caso. A frase nunca foi dita por Kurt Cobain. E o Politifact não é o primeiro órgão de comunicação social a desmascarar a citação. Ao longo dos anos, vários jornais têm desmentido a ideia de que o músico previu, e até apoiou, a eleição de Trump.

O boato original surgiu no grupo de Facebook “Trump Train”, que tem cerca de 60 mil membros. De tempos a tempos, tem voltado a ganhar força em várias redes sociais.

cobainn

Recentemente, em agosto do ano passado, Danny Goldberg, um agente que trabalhava com os Nirvana também veio garantir, num artigo de opinião no jornal “The Nation”, que a autoria do pensamento não pertence ao vocalista: “Eu sei que a citação não só é uma invenção, como é uma grotesca perversão das crenças do Kurt.”

Cobain

O site “PolitiFact” também garante que não há registos de que Cobain tenha expresso esta opinião em alguma entrevista ou declaração pública, e que os mais próximos do músico têm a certeza que jamais diria algo daquele género.

Por tudo isto, talvez esta seja uma tentativa de mostrar que até um dissidente do regime capitalista e um discordante da atitude de magnatas concordaria com a eleição de Donald Trump. A hipótese pesa mais quando se põe na balança o facto de a publicação original ser de 2016, o ano em que Trump concorria à Casa Branca, e de ter surgido num grupo de apoio ao magnata americano.

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network