"Depois do tacho muito bem pago e durante vários anos para o Pedro Adão e Silva e amigos, criou-se agora mais um tacho para um amigo e seus amigos. José Sá Fernandes ex-vereador do BE e do PS foi nomeado coordenador do Grupo de Projeto da Jornada Mundial da Juventude 2023, que vai juntar em Lisboa milhares de jovens católicos de todo o mundo", começa por denunciar o post do Facebook.

"José Sá Fernandes que nem católico é, vai receber 4525,62 euros/mês até dezembro de 2023. Além disto vai ter: três adjuntos; um secretário pessoal; três técnicos especialistas; motorista. Já não há vergonha na cara, mas o povo é manso e continua a votar neles", destaca-se na publicação, datada de 5 de agosto.

Será mesmo assim?

No verão de 2023, Portugal vai receber, em Lisboa, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ 2023). O evento religioso de grande dimensão reúne milhões de jovens católicos oriundos de todo o mundo.

De acordo com o Despacho n.º 7669/2021, emitido pela presidência do Conselho de Ministros e gabinete do primeiro-ministro, José Paixão Moreira Sá Fernandes foi designado coordenador do grupo de projeto para a JMJ 2023.

José Sá Fernandes é atualmente vereador da Câmara Municipal de Lisboa (CML), responsável pelos pelouros do Ambiente, Estrutura Verde, Clima e Energia. Tal como noticiado pela Lusa, além da organização do evento católico, o grupo de projeto "vai acompanhar e preparar a requalificação urbanística e a valorização ambiental e ecológica da zona ribeirinha onde atualmente se localiza o Complexo Logístico da Bobadela, cujos terrenos começarão a ser desocupados para efeitos da realização da JMJ 2023", referiu o gabinete do primeiro-ministro, António Costa numa nota à comunicação social.

"Terrenos altamente contaminados" no Parque das Nações vão ser palco da Jornada Mundial da Juventude em 2023?
"Terrenos altamente contaminados" no Parque das Nações vão ser palco da Jornada Mundial da Juventude em 2023?
Ver artigo

A Resolução do Conselho de Ministros n.º 45/2021 cria o grupo de projeto para a JMJ 2023 e, no seu artigo 14º, determina que o coordenador designado "exerce as suas funções em comissão de serviço, sendo equiparado, para efeitos remuneratórios, de competência e de incompatibilidades, impedimentos e inibições, a dirigente superior de 1.º grau".

De acordo com o estatuto remuneratório da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), os cargos de direção superior de 1º grau auferem uma remuneração bruta de 3745,26 euros, à qual acresce o valor de 780,36 euros em despesas de representação. A soma dos dois valores é igual a 4525,62 euros, pelo que o montante indicado na publicação é correto.

Na publicação refere-se que o coordenador irá receber esta remuneração até dezembro de 2023. Esta informação é também verdadeira. No artigo 21º da resolução que cria este grupo de trabalho indica-se que o mandato do mesmo termina a 31 de dezembro de 2023.

Além disso, o autor do post aponta para a existência de uma equipa de "três adjuntos, um secretário pessoal, três técnicos especialistas e um motorista". De facto, determina-se na resolução mencionada que a comissão técnica do grupo de projeto para a JMJ 2023 é composta por um coordenador e uma equipa técnica com um máximo de oito elementos, os mesmos que são referidos na publicação em análise.

Em suma, conclui-se que as afirmações analisadas são factualmente verdadeiras. De registar apenas uma imprecisão da publicação que se refere a José Sá Fernandes como "ex-vereador". O advogado é vereador na CML há 16 anos: esteve dois anos na oposição, eleito pelo Bloco de Esquerda, mas acabaria por ingressar nas listas do PS, primeiro com António Costa e mais tarde com Fernando Medina. Ainda exerce funções atualmente como vereador do ambiente, clima e energia e estrutura verde.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network