O primeiro jornal português
de Fact-Checking

José Luís Carneiro: Portugal teve “uma redução nas compras de combustíveis fósseis ao exterior na ordem dos seis mil milhões de euros” em 2023

Política
O que está em causa?
No seu espaço de comentário na CNN Portugal, o ex-ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, deu a entender que, no último ano, o país concretizou “uma redução nas compras de combustíveis fósseis ao exterior em valores que andam na ordem dos seis mil milhões de euros”. Verdade ou mentira?

Na “Bússola” desta segunda-feira à noite, programa semanal de comentário na CNN Portugal, o socialista José Luís Carneiro destacou os alegados feitos associados à “política económica do PS” – partido responsável pela governação do país ao longo dos últimos oito anos –, argumentando que a mesma “deu provas” e ajudou a “alterar estruturalmente a economia nacional”.

Nomeadamente, elaborou o ex-ministro da Administração Interna, “porque reduziu a dívida pública” e possibilitou que as “exportações continuassem a crescer”. E deu um exemplo: “As nossas exportações, pela primeira vez, cobriram as importações. E aumentaram não apenas no turismo, que é uma das dimensões que é conhecida de todos e que não deve ser desvalorizada.”

Na sua exposição, José Luís Carneiro apontou ainda “outro dado muito claro nesse domínio, que tem a ver com a diminuição do valor das importações” – o que contribuiu para que Portugal atingisse, no ano passado, “o maior saldo comercial desde que há registo, desde 1948”. Algo que “tem muito a ver com o facto de termos tido uma redução nas compras de combustíveis fósseis ao exterior em valores que andam na ordem dos seis mil milhões de euros”. Confirma-se este número?

Sim. Em causa estão valores que foram partilhados, em fevereiro deste ano, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), num boletim estatístico em que dava conta de que os “primeiros resultados anuais de 2023” apontavam para “diminuições nas exportações e importações de, respetivamente, 1,0% e 4,1%” face a 2022 – o que culminou numa redução do défice da balança comercial em 3.727 milhões de euros, situando-se nos 27.356 milhões de euros.

De acordo com os dados que acompanham o comunicado de imprensa sobre o tema, onde é feito um balanço sobre o saldo comercial do país, é possível concluir que, em 2022, as importações de combustíveis minerais por parte de Portugal ascendiam aos 18,2 mil milhões de euros. Valor que, no ano seguinte, viria a baixar para os 12,2 mil milhões de euros. Contas feitas, registou-se um decréscimo de, precisamente, 6,0 mil milhões de euros, tal como afirmou José Luís Carneiro.

Segundo a enciclopédia “Britannica”, a expressão “combustíveis minerais” refere-se a produtos como o “carvão, petróleo e gás natural” – a que comumente se dá a designação de combustíveis fósseis, como mencionou o socialista –, que “podem ser descritos como um tipo especial de depósito económico”.

____________________________

Avaliação do Polígrafo:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque