“Urgente! Como sempre, a imprensa mentiu e tirou o vídeo do contexto. Bolsonaro respondeu a quem o agrediu com a frase: ‘vamos visitar sua filha na cadeia’, no que o presidente foi até muito calmo, para tamanha agressão!”.  Esta é uma das mensagens que se propagou nas redes sociais logo depois do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, ter ameaçado um jornalista do jornal "O Globo". 

A acusação é acompanhada por um vídeo de oito segundos em que se vê o presidente do Brasil a circular junto de um grupo de pessoas. Ouve-se então alguém dizer algo que não é muito perceptível e que aparece legendado com a seguinte frase: “Vamos visitar a sua filha na cadeia agora.”  

Algumas das publicações a circular nas redes sociais com o referido vídeo indicam que a filha seria a primeira-dama do Brasil e que a expressão aludia à diferença de 27 anos entre Bolsonaro e a mulher, Michelle.

Insultos Bolsonaro

Depois da suposta frase, ouve-se a resposta de Bolsonaro.Minha vontade é encher tua boca na porrada, tá?”, diz o líder do Palácio do Planalto. 

O jornalista disse mesmo a Bolsonaro que ia visitar a filha do Presidente do Brasil à prisão? Verificação de factos. 

Foi em 23 de agosto que a frase do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, se propagou por mundo - e tudo aconteceu depois de um jornalista ter questionado o líder do Palácio do Planalto sobre a suposta participação da primeira-dama brasileira, Michelle Bolsonaro, num esquema de pagamento ilícito. As reportagens também envolviam Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro - o filho mais velho do Chefe de Estado brasileiro. 

"Vontade de encher a tua boca de porrada", foi a resposta dada por Bolsonaro ao jornalista d’"O Globo". O Presidente do Brasil foi depois questionado sobre as ameaças, mas não fez mais nenhum comentário. 

Como explica a AFP num fact check sobre o tema, uma comparação entre o vídeo partilhado nas redes sociais e o áudio do momento da ameaça, publicado pel’"O Globo", permite concluir que a frase “vamos visitar a sua filha na cadeira agora” não foi dita. 

Uma comparação entre o vídeo partilhado nas redes sociais e o áudio do momento da ameaça, publicado pel’"O Globo", permite concluir que a frase “vamos visitar a sua filha na cadeira agora” não foi dita.

Segundo a mesma fonte, é possível ouvir uma terceira pessoa referir-se à Catedral Metropolitana de Brasília, onde estava Bolsonaro: “Vamos visitar a nossa feirinha da catedral, Presidente.”

Já depois de o Chefe de Estado brasileiro ameaçar o jornalista, a mesma pessoa continua a pedir que se visite a referida feira, sublinhando: “Seria importante aqui para a gente.

Posteriormente, alguém pergunta a Bolsonaro se este ameaçou a imprensa, não sendo possível ouvir qualquer resposta do político brasileiro. 

Não ouvi nada parecido com isso [‘vamos visitar sua filha na cadeia agora]”. Um dos vendedores pediu para que ele visitasse a feirinha. E ele realmente foi”, garantiu ao jornal de verificação de factos Sérgio Lima, o fotógrafo que acompanhou o Presidente do Brasil nesse domingo e presenciou o incidente.  O fotojornalista explicou também que ficou claro, naquele momento, que Bolsonaro tinha ameaçado o jornalista que o tinha questionado sobre as transações feitas por Fabrício Queiroz a Michelle Obama.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network