Jair Bolsonaro, o recentemente empossado presidente brasileiro possui uma conta bancária na Suíça com 200 milhões de dólares (cerca de 176 milhões de euros). Isto se acreditarmos numa mensagem colocada a circular nas redes sociais brasileiras, onde se insinua que o ex-militar apregoa virtudes públicas, mas mantém hábitos privados não muito distantes daqueles que sempre apontou aos seus adversários do Partido dos Trabalhadores.

Segundo a mensagem, a conta, que estaria em nome de Bolsonaro e da sua mulher Michelle, já se encontrava na mira das autoridades policiais. “A Polícia Federal descobriu uma conta secreta na Suíça do presidente eleito Jair Bolsonaro. Em sete anos, Bolsonaro teria recebido US$200,7 milhões, de contratos ilegais de empresas, lavagem de dinheiro e desvio de repasses de obras”, podia ler-se no texto, que acrescentava que “a informação é da justiça suíça, que bloqueou a conta por suspeitar que seja dinheiro de propina [suborno]. A conta 17.321-1, do banco Credit Lyonnais, foi aberta por Bolsonaro e pela mulher dele, Michelle Bolsonaro, em março de 2008”. Quanto à entidade que alegadamente teria “comprado” Bolsonaro, é referida a multinacional Alstom.

Para solidificar a sua credibilidade, o texto era acompanhado de uma imagem com uma suposta notícia publicada no portal noticioso UOL. Não citava fontes fiáveis e tinha alguns erros de português.

Agora a verdade: Bolsonaro não possui a conta em causa na Suíça, nunca a abriu, muito menos na companhia da sua mulher.

A Polícia Federal, confirmou o site de fact-checking boatos.org, não está a investigar este “caso” e o UOL nunca publicou um conteúdo com este teor. Trata-se, por isso, de uma imagem manipulada, politicamente focada em descredibilizar o presidente do Brasil.

Esta não é a primeira vez que é colocada a circular nas redes sociais informação falsa sobre Bolsonaro. Fique com três exemplos:

  • Numa entrevista ao jornal Folha de São Paulo teria afirmado que "um paciente com câncer custa muito caro para o Estado. Vamos cortar essa farra”. O político insurgia-se assim contra os subsídios estatais a doentes cancerígenos.
  • Segundo uma notícia que rapidamente se tornou viral, o novo presidente brasileiro estaria a pensar em acabar com os subsídios estatais à celebração do Carnaval e da parada gay. "Temos de pensar primeiro em nossas necessidades fundamentais", terá afirmado.
  • Uma imagem que viralizou na internet acusava Bolsonaro de ter-se reformado do exército com apenas 33 anos de idade alegando "insanidade mental" e apresentando um atestado médico que o comprovaria.

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Pimenta na Língua
International Fact-Checking Network