Na sequência da primeira volta das eleições brasileiras surgiu uma foto do agora presidente eleito, Jair Bolsonaro, onde troça da campanha #EleNão, desencadeada contra si pelos movimentos feministas, desagradados com as suas posições alegadamente misóginas. Na imagem, ainda hoje partilhada milhares de vezes através das redes sociais, é possível ver Bolsonaro a usar uma camisola onde está estampada a frase “#EuNão”.

O movimento #EleNão teve repercussão internacional, com dezenas de artistas de todo o mundo a juntar-se à causa. A própria Madonna o fez através de um post na sua conta no Instagram, colocado um dia depois de um grupo de deputadas portuguesas — das bancadas do Bloco de Esquerda, PS e Partido Ecológico Os Verdes — também o terem feito, erguendo cartazes com com a hashtag #EleNão.

Esta imagem, apesar de verdadeira, está descontextualizada com objetivos claros de desinformação. A imagem original é de 2015 e ilustra um evento contra a então presidente Dilma Roussef
No entanto, o site brasileiro e-farsas investigou a origem da imagem e descobriu que a primeira vez que ela surgiu foi dia 3 de Outubro, no Twitter. Segundo esta publicação do Twitter, a imagem era originária de uma publicação da conta oficial de Facebook de Bolsonaro. Essa publicação vinha acompanhada com a seguinte legenda: “Essa campanha do #EleNão tá muito fraca resolvi dar uma forcinha para ver se melhora Kkkkkk”

Contudo esta imagem, apesar de verdadeira, está descontextualizada com objetivos claros de desinformação, uma vez que data de 2015 e ilustra uma manifestação contra a então presidente Dilma Roussef, que, como se sabe, viria a ser afastada das suas funções em 2016 na sequência de um processo de impeachment.

Avaliação do Polígrafo:

Falso