Uma publicação partilhada milhares de vezes no Facebook apresenta uma imagem surpreendente: aparentemente, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro no momento em que é ungido pelo bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus. O post provocou reacções extremas: entre a denúncia e a aprovação, a surpresa e a dúvida. Alguns destes últimos - dos que duvidaram da autenticidade da imagem - denunciaram o conteúdo ao Facebook e o Polígrafo, no âmbito da parceria que mantém com aquela rede social, passa à sua verificação.

Efetivamente, o momento descrito aconteceu mesmo, tendo sido noticiado por várias publicações brasileiras (veja aqui um exemplo). Foi no dia 1 de Setembro - há pouco mais de um mês, portanto - que Jair Bolsonaro se deslocou ao Templo de Salomão, situado em São Paulo. O evento começou por volta das 9h30 e, às 10h10, o polémico líder da Igreja Universal chamou Bolsonaro ao altar, para fazer uma oração pelo presidente, no que foi acompanhado pelos milhares de fiéis presentes.

Na ocasião, Edir Macedo sublinhou que que Bolsonaro foi uma "escolha de Deus" para liderar 210 milhões de brasileiros. De seguida, colocou as duas mãos sobre a cabeça do presidente, com o óleo para a unção, e, enquanto uma música triunfal subia e milhares de pessoas sussurravam em orações, proclamou: “Uso de toda a autoridade que me foi concedida por Deus para abençoar este homem, para lhe dar sabedoria, para que este país seja transformado, que faça um novo Brasil”.

O presidente desceu do altar e Edir Macedo, que é proprietário da TV Record, aproveitou a oportunidade para criticar os média, que, revelou, alegadamente lhe serão hostis a si, bem como a Jair Bolsonaro. “Vivenciamos o inferno da mídia, mas eu estou aqui e o presidente está lá. Ele vai arrebentar lá, não porque sou eu, não porque é ele, é porque é o espírito de Deus”, disse.

TVI
A reportagem "O Segredo dos Deuses" gerou uma disputa judicial entre a IURD e a TVI que está longe de terminar

Recorde-se que a (IURD) se encontra envolvida numa fortíssima disputa contra a TVI desde que a estação de Queluz emitiu "O Segredo dos Deuses", onde revela que a IURD esteve alegadamente relacionada com o rapto e tráfico de crianças nascidas em Portugal. Os supostos crimes terão acontecido na década de 1990, com crianças levadas de um lar em Lisboa, que teria alimentado um esquema de adoções ilegais em benefício de famílias ligadas à IURD que moravam no Brasil e nos Estados Unidos.

Em Fevereiro de 2018, na sequência da transmissão da série de episódios que compõem a grande reportagem, a IURD moveu um processo cível contra a TVI e os responsáveis pela transmissão, incluindo a jornalista Alexandra Borges e a direcção da estação. A IURD pede uma indemnização de cinco milhões de euros.

***

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “verdadeiro” ou “maioritariamente verdadeiro” nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro