"Se for viajar para Sul, não se esqueça de levar catana, motosserra ou moto-roçadora", ironiza-se no texto de um post no Facebook, datado de 12 de agosto. A publicação que se tornou viral, com mais de mil partilhas, mostra duas placas de trânsito quase integralmente cobertas de vegetação.

Na primeira, é visível a indicação do IP8, o itinerário principal que atravessa o Baixo Alentejo, ligando Sines a Vila Verde de Ficalho, na fronteira com Espanha. A restante informação da placa está obstruída por plantas. A segunda placa de sinalização, que indica a proximidade e respetivas saídas de uma rotunda, também tem grande parte da informação tapada pela vegetação.

De acordo com o Decreto-Lei n.º 91/2015, que determinou a fusão da Rede Ferroviária Nacional e da Estradas de Portugal na Infraestruturas de Portugal, compete a esta entidade, relativamente às infraestruturas rodoviárias e ferroviárias nacionais sob sua administração, "zelar pela manutenção permanente das condições de infraestruturação e conservação e pela segurança da circulação ferroviária e rodoviária".

Contactada pelo Polígrafo, fonte oficial da Infraestruturas de Portugal confirma a autenticidade das imagens, assim como a localização das placas de sinalização no IP8. "A Infraestruturas de Portugal é conhecedora desta situação, estando já programado realizar uma nova intervenção neste local, com início na próxima semana", informa a mesma fonte, que justifica a situação com o "desenvolvimento muito rápido" das canas, o tipo de vegetação em causa, que levam à necessidade de "intervenções frequentes".

No Decreto Regulamentar n.º 22-A/98, que estabelece as regras da sinalização do trânsito, determina-se, no Artigo 13.º, que "os sinais devem ser colocados de forma a garantir boas condições de legibilidade das mensagens neles contidas e a acautelar a normal circulação e segurança dos utentes das vias".

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
International Fact-Checking Network