Múltiplas publicações nas redes sociais, algumas das quais com centenas de partilhas. Nos respetivos comentários, por entre algumas dúvidas suscitadas quando ao contexto e veracidade da imagem, a ideia predominante é a de que a atual ministra da Cultura, Graça Fonseca, terá mesmo feito um gesto obsceno, durante um evento oficial não especificado. E verifica-se também uma catadupa de mensagens insultuosas que optamos por não reproduzir.

Confirma-se que a imagem é autêntica?

Não. Trata-se de uma manipulação grosseira.

Através de pesquisas em aplicações como a TinEye identificámos a origem da imagem falsificada em artigos do "Jornal Económico" sobre a ministra da Cultura.

A fotografia original é da autoria da fotojornalista Cristina Bernardo e foi captada no decurso de um almoço-debate do International Club of Portugal, realizado no dia 31 de julho de 2019.

Desde então que essa fotografia tem servido para ilustrar artigos do "Jornal Económico", tal como o que replicamos na imagem acima, sendo notório que a ministra tinha dois dedos esticados sobre o rosto e não apenas o dedo do meio. Na manipulação grosseira simplesmente corta-se parte do dedo indicador da imagem.

Num contexto em que a ministra da Cultura está a ser contestada por várias frentes do setor artístico-cultural, com algumas frases controversas pelo meio a aumentarem a tensão política, a imagem (falsa) do gesto obsceno como que explora tais emoções negativas e daí talvez a rapidez com que se propagou nas redes sociais.

De resto, esta não é a primeira vez que Graça Fonseca é alvo de fake news baseadas em ilusões de óptica, tal como o Polígrafo já sinalizou em artigo de outubro de 2019. Mais uma vez, o facto é que não aconteceu.

_______________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network