"Os cristãos ucranianos estão a rezar lá fora, na neve, pelo seu país nesta fase de perigo de guerra. Ore por nossa família cristã na Ucrânia diante deste momento especialmente crítico; que Deus dê sabedoria, discernimento, força, coragem, proteção aos seus filhos, autoridades e toda a população! Estamos a rezar contigo Ucrânia!", lê-se numa publicação no Facebook, de 24 de fevereiro, dia em que a Rússia invadiu a Ucrânia.

Mas será a imagem atual?

Não. A fotografia começou circular nas redes sociais numa altura em que a Rússia ainda não tinha invadido a Ucrânia. A Reuters e a Agence France-Presse investigaram a origem da imagem e verificaram que esta tem circulado nas redes sociais pelo menos desde 2019, altura em que foi publicada num artigo intitulado “Ajoelhados” (“Standing on Our Knees”, em inglês).

Nesse artigo, de 25 de setembro de 2019, a fotografia é atribuída ao International Mission Board (IMB), uma sociedade missionária Batista. Segundo o texto, as orações na Praça da Liberdade em Kharkiv, na Ucrânia, foram a resposta a um apelo dos pastores e líderes evangélicos em 2014, após o surto de violência na Ucrânia oriental entre as forças separatistas apoiadas pela Rússia e os militares ucranianos, que resultou em mais de 10 mil mortos e quase 24 mil feridos.

Em suma, apesar de a imagem ser autêntica e mostrar um grupo de ucranianos a rezar na neve no âmbito do conflito entre a Rússia e Ucrânia, este conteúdo surge de forma descontextualizada uma vez que estas orações acontecem desde 2014 e a fotografia sob análise foi partilhada pela primeira vez em 2019.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falta de contexto: conteúdos que podem ser enganadores sem contexto adicional.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.