"Para haver um atendimento não é só preciso haver instalações e haver camas. Por exemplo, relativamente à Covid-19 e um grande grupo de saúde, conhecido aqui na cidade de Lisboa. Só puderam acolher doentes Covid-19 quando tivemos uma equipa de médicos alemães em Portugal e que foram colocados neste hospital para servir, porque não tinham recursos humanos suficientes. Por isso, não vale a pena dizer que é uma questão ideológica", afirmou António Costa, no debate de ontem à noite, na SIC, perante Francisco Rodrigues dos Santos, líder do CDS-PP.

De facto, uma equipa clínica alemã formada por 26 profissionais de saúde chegou a Portugal no dia 3 de fevereiro de 2021, para dar apoio ao sistema de saúde português, face à pressão provocada pela pandemia de Covid-19. O processo de auxílio da Alemanha a Portugal arrancou a 25 de Janeiro, na sequência de um pedido de ajuda da ministra da Saúde, Marta Temido, à ministra da Defesa alemã, Annegret Kramp-Karrenbauer.

Tal como informou o Governo na altura, a equipa alemã ficou a prestar assistência médica no Hospital da Luz, em Lisboa. "Entendemos que o mais vantajoso era que estivessem a trabalhar juntos e num espaço único, daí a opção que foi feita e a colaboração que também foi dada por este prestador para permitir criar essas condições", afirmou Temido numa audição na Comissão Parlamentar de Saúde, a 10 de fevereiro de 2021.

Os profissionais de saúde do Exército alemão trataram 16 doentes em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) e regressaram ao seu país no dia 23 de março de 2021.

No entanto, não é verdade que esta unidade hospitalar apenas conseguiu receber doentes infetados pelo coronavírus com a chegada destes médicos e enfermeiros alemães, tal como disse Costa.

Em comunicado datado de 29 de janeiro de 2021, o Hospital da Luz informou que, desde o início daquele ano, na unidade de Lisboa já tinham sido tratados mais de 300 doentes infetados com o SARS-CoV-2 e que recebia diariamente doentes Covid-19 transferidos de hospitais públicos.

Naquela altura, o Hospital da Luz Lisboa indicou que dispunha de mais de 70 camas em enfermaria e 35 camas de cuidados intensivos dedicadas exclusivamente a doentes Covid-19.

"Estamos a reagendar toda a atividade que for possível nas nossas unidades periféricas de Lisboa (Oeiras, Torres de Lisboa e Amadora), de forma a libertar enfermeiros qualificados e auxiliares e assim podermos aumentar as camas de internamento no Hospital da Luz Lisboa para estes doentes”, explicou a diretor executiva do grupo Luz Saúde, Isabel Vaz, numa reportagem da SIC emitida a 25 de janeiro.

Além da assistência Covid-19, em janeiro de 2021, as unidades do Hospital da Luz receberam "mais de duas centenas de doentes enviados pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS) que necessitavam de uma cirurgia urgente", informa-se ainda na nota do grupo privado de saúde.

Num artigo do jornal "Expresso, de 22 de janeiro de 2021, Alexandra Bayão Horta, diretora de Medicina Interna do Hospital da Luz Lisboa referiu que a colaboração do grupo com o SNS ultrapassava o número de doentes Covid-19 ali "tratados e transferidos pela Administração Regional de Saúde, desde 25 novembro".  Segundo Bayão Horta, a manutenção da atividade assistencial aos doentes não Covid-19, sobretudo na oncologia, era outra forma de ajudar o SNS.

Em suma, a afirmação de Costa não corresponde à realidade dos factos. A verdade é que o Hospital da Luz, a unidade privada que recebeu a equipa clínica da Alemanha que veio auxiliar no combate à pandemia, já estava a receber doentes infetados com Covid-19 transferidos do SNS, assim como doentes com outras patologias ou a necessitar de cirurgia urgente.

________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network