"Estão a chegar, nas últimas semanas, a diferentes hospitais do SNS, caixas de luvas aparentemente intactas, vindas da China e com o símbolo de certificação, que quando são abertas trazem surpresa. E qual é a surpresa? As luvas são usadas. Sim, leram bem. Usadas. E não, isto não é falso. É bastante real, garanto-vos", lê-se numa mensagem publicada por Carmen Garcia, enfermeira no Hospital do Espírito Santo de Évora.

Ao Polígrafo, esta profissional de saúde explicou que “a situação começou por ser descrita num grupo de Facebook com 40 mil enfermeiros”. Só depois tomou a iniciativa de tornar público o sucedido: “Vários colegas vieram ter comigo, em privado, a enviar mais fotografias”.

Carmen Garcia utilizou então algumas dessas imagens para sustentar a denúncia que fez na sua página no Facebook. Nas imagens vê-se que os equipamentos de proteção individual apresentam algarismos, palavras e caracteres chineses inscritos a esferográfica. Em algumas das luvas, os dedos encontram-se do avesso, também um indício de que estes materiais foram usados antes de chegarem aos profissionais de saúde portugueses devidamente embalados.

De acordo com as fotografias partilhadas e os depoimentos dos profissionais de saúde, as luvas em questão são de uma marca portuguesa mas terão sido importadas da China, tal como consta na ficha informativa do produto. E terão sido encontradas no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho e na Unidade Local de Saúde do Norte Alentejo, em Portalegre.

O Ministério da Saúde remeteu explicações para as Administrações Regionais de Saúde (ARS), quando questionado pelo Polígrafo.  A ARS do Norte respondeu que "ao nível hospitalar, contactadas todas as unidades da região, os centros hospitalares de Vila Nova de Gaia/Espinho, Trás-os-Montes e Alto Douro e Médio Ave, confirmaram ter adquirido diretamente e recepcionado luvas com as características" denunciadas.

Também a ARS do Alentejo confirmou ao Polígrafo que a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejo "recebeu luvas com as características indicadas".

No entanto, as referidas administrações regionais garantem que os conselhos de administração destas unidades de saúde já ordenaram a recolha e devolução à empresa fornecedora, junto da qual apresentaram uma reclamação.

Quanto à empresa fornecedora do material, importado da China, confirmou o ocorrido e assegurou que já mandou retirar as luvas danificadas.

Em suma, é verdadeira a denúncia de que vários hospitais do SNS receberam luvas para os profissionais de saúde com indícios de já terem sido usadas. Entretanto, o material em questão foi retirado e substituído por outros equipamentos que respeitam as normas de segurança sanitária.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network