"Radares Calçada da Carriche ambos os lados. Alcatrão novo, máquinas novas a faturar", escreve o autor de uma das publicações em que são partilhadas fotografias de radares de controlo de velocidade alegadamente escondidos em várias estradas de Lisboa. Numa outra publicação afirma-se: "Radares escondidos em Lisboa."

Num outro post encontrado pelo Polígrafo afirma-se que os aparelhos "conseguem detetar infrações como passagem de traços contínuos, passagem de sinais vermelhos, em todas as faixas e ambos os sentidos". Os radares encontram-se instalados em postes e alguns deles estão situados perto de árvores e sinais de trânsito.

O Polígrafo contactou a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), de forma a confirmar se os aparelhos nas imagens são realmente radares de controlo de velocidade, mas a resposta não foi taxativa.

"O equipamento constante das imagens e eventual sinalização que exista nos locais, são da responsabilidade da respetiva entidade gestora da via, a qual, no caso da Calçada de Carriche,  a Câmara Municipal de Lisboa", respondeu fonte oficial da entidade.

O Polígrafo questionou fonte oficial da Câmara Municipal de Lisboa (CML) que confirmou que os aparelhos vistos nas imagens são radares, mas "não estão escondidos". Aliás, estes novos radares já foram noticiados pela SIC no dia 9 de setembro.

De acordo com a mesma fonte, "são equipamentos novos e foram adquiridos 41 radares de controlo de velocidade no total, dos quais 13 já estão instalados e encontram-se em fase de testes". A Câmara Municipal de Lisboa refere que, desses 41 radares, 21 vão servir para substituir antigos e os restantes vão ser instalados em novos locais. Os aparelhos vão estar sempre em funcionamento.

A instalação dos 41 equipamentos deve ser concluída "até ao final do ano" e a entrada em funcionamento "será oportunamente comunicada".

"Tratam-se de equipamentos mais modernos, com uma tecnologia mais atual que permite o controle de velocidade em várias vias em simultâneo e em ambos os sentidos, quando os radares antigos apenas permitem controlar a velocidade numa única via. Outra funcionalidade prende-se com a possibilidade de receber no Centro de Coordenação da Mobilidade da CML dados de tráfego em tempo real (velocidades médias, contagens de veículos)", esclarece a autarquia.

"Os equipamentos vão apenas ser utilizados para controlo de velocidade", embora também possam controlar a passagem de sinais vermelhos ou traços contínuos, por exemplo. "O controlo de passagem de sinais vermelhos ou de traços contínuos através de radares ainda não se encontra autorizado em Portugal", clarifica.

Conclui-se que, apesar de se confirmar que são radares, estes equipamentos não estão escondidos. Além disso, os novos aparelhos, que podem controlar a passagem de sinais vermelhos ou traços contínuos, não o vão fazer, porque a legislação portuguesa não o permite. Assim, a informação é falsa.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network