Importa começar por sublinhar que não é verdade que a gripe tenha "desaparecido" em Portugal ao longo do ano de 2020, tal como o Polígrafo já verificou em artigo recente.

De acordo com os dados mais recentes que foram recolhidos pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), na presente época de 2020/2021 (i.e., desde 28 de setembro até à semana de 19 a 25 de outubro), os laboratórios da Rede Portuguesa de Laboratórios para o Diagnóstico da Gripe já notificaram 682 casos de infeção respiratória. Ou seja, em menos de um mês.

No período homólogo de 2019 e 2018 registaram-se 356 e 248 casos, respetivamente

Neste momento não estão a ser registados muitos casos de gripe, mas isso deve-se ao facto de ainda não termos chegado ao período de maior prevalência da gripe, cuja época de incidência em Portugal costuma prolongar-se entre os meses de outubro e maio. Na época de 2019/2020, por exemplo, o pico de atividade gripal verificou-se entre a 50ª semana de 2019 (de 9 a 15 de dezembro) e a 4ª semana de 2020 (de 20 a 26 de janeiro).

Ainda assim há menos casos de gripe e internamentos (em cuidados intensivos, devido ao síndrome gripal) em comparação com o período homólogo dos anos anteriores? Não.

Consultando os boletins de vigilância epidemiológica do INSA verificamos que na semana de 19 a 25 de outubro de 2020 registaram-se cinco casos de síndrome gripal e seis casos de infeções respiratórias agudas.

Ora, no período homólogo de 2019 e 2018 registaram-se menos casos de síndrome gripal, três e quatro respetivamente.

O mesmo se aplica aos internamentos em cuidados intensivos. Na semana de 19 a 25 de outubro de 2020 não foi reportado nenhum caso de gripe pelas 22 unidades de cuidados intensivos que enviaram informação recolhida pelo INSA.

Tal como no período homólogo de 2019 e 2018, zero casos.

Em suma, o impacto da pandemia de Covid-19 nos dados estatísticos relativos à síndrome gripal só poderá ser analisado com um nível mínimo de rigor e coerência no final da época de 2020/2021 da gripe em Portugal, em maio de 2021.

Na presente época de 2020/2021 (i.e., desde 28 de setembro até à semana de 19 a 25 de outubro) já foram notificados 682 casos de infeção respiratória. Ou seja, em menos de um mês. No período homólogo de 2019 e 2018 registaram-se 356 e 248 casos, respetivamente.

Neste momento ainda nem sequer chegámos ao período de maior prevalência da gripe. De qualquer modo, não é verdade que a gripe tenha "desaparecido" em Portugal e não é verdade que estejam a ser registados menos casos de gripe e internamentos em cuidados intensivos do que nos anos anteriores.

_______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network