"A fraude comuno-globalista. Mistério. No Wisconsin já há mais votos do que votantes… Após terem 'descoberto' quase 200 mil votos no reatamento da contagem", denuncia-se em publicação no Facebook, indicando que estarão contabilizados 3.239.920 votos no Wisconsin e que nesse Estado do Midwest estarão registados apenas 3.129.000 eleitores.

No que respeita ao número de votos contabilizados até ao momento, de acordo com os dados compilados pelo jornal The New York Times (similares a vários outros jornais e estações de televisão dos EUA), Joe Biden tem 1.630.389 votos e Donald Trump tem 1.609.879 votos, perfazendo um total de 3.297.137 votos registados.

Ou seja, verifica-se uma pequena diferença em relação ao número indicado na publicação - um total de 3.239.920 votos apurados -, a qual deverá resultar da atualização da contagem nas últimas horas.

De qualquer modo, o problema reside mesmo no número de eleitores registados no Wisconsin. Não são 3.129.000, como se alega na publicação em causa, mas sim 3.684.726 eleitores registados, até ao dia 1 de novembro de 2020, de acordo com a informação disponível na página da Comissão Eleitoral do Wisconsin.

Esta informação já foi confirmada por várias plataformas norte-americanas de verificação de factos, nomeadamente a Politifact e a Snopes. Na realidade, o número indicado na publicação - 3.129.000 - era o número de eleitores registados no Wisconsin em novembro de 2018, não em novembro de 2020 (pode conferir aqui).

Em suma, não há mais votos contados do que eleitores registados no Wisconsin, ao contrário do que se denuncia na publicação. Nem essa falsidade comprova uma suposta fraude eleitoral para favorecer Joe Biden, o candidato do Partido Democrata que está na iminência de ser declarado vencedor, muito próximo do limiar de 270 votos garantidos no Colégio Eleitoral (de acordo com as projeções, até ao momento).

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Pimenta na Língua
International Fact-Checking Network