"O PS ocupou o Estado e tornou-o no maior centro de emprego do país, com uma contratação recorde de funcionários! Os portugueses nunca pagaram tanto de impostos e a dívida pública nunca esteve tão alta. Nunca pagaram tantos impostos, porque nunca foi preciso sustentar uma máquina do Estado tão grande e desajustada à realidade do país. É hora de virar Portugal à direita", lê-se na publicação de 24 de agosto, com o gráfico em causa.

Começando pelo número de funcionários públicos. De acordo com o Boletim de Estatística do Emprego Público (BOEP) de junho de 2021, elaborado pela Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP), "em 31 de dezembro de 2020, o emprego nas administrações públicas situava-se em 718.947 postos de trabalho, o que representa uma diminuição de 1,2% face a 31 de dezembro de 2011 (menos 8.838 postos de trabalho) e um aumento de 2,8% em termos homólogos (mais 19.916 postos de trabalho). Para este comportamento contribuiu essencialmente o subsetor da administração central o qual representa 75,9% do emprego no setor das administrações públicas".

No final de 2015, precisamente quando tomou posse o primeiro Governo do PS liderado pelo primeiro-ministro António Costa, registava-se um total de 659.103 postos de trabalho nas administrações públicas. Apesar de uma ligeira imprecisão no número referente a 2020, o gráfico do CDS-PP apresenta dados corretos.

Mais recentemente, aliás, na Síntese Estatística do Emprego Público (SIEP) do segundo trimestre de 2021, elaborada pela mesma DGAEP, verifica-se que o número de funcionários públicos continua a aumentar durante o presente ano, alcançando um total de 731.258 postos de trabalho ocupados no final de junho de 2021. Importa porém ressalvar que estes dados ainda são provisórios.

Quanto à dívida pública em valores absolutos, de acordo com a mais recente Nota de Informação Estatística - Dívida Pública emitida pelo Banco de Portugal (BdP), referente a junho de 2021, "a dívida pública situou-se em 277,5 mil milhões de euros, um aumento de 2,7 mil milhões de euros face ao mês anterior. Para este aumento contribuíram essencialmente as emissões de títulos de dívida (2,2 mil milhões de euros)".

O BdP apresenta um gráfico com a evolução da dívida pública desde julho de 2016, verificando-se que o valor absoluto registado em junho de 2021 é o mais elevado desde então, tendo superado pela primeira vez a fasquia de 270 mil milhões de euros em dezembro de 2020.

Na base de dados estatísticos do BdP encontramos os valores da dívida pública desde 1995 e constatamos que, de facto, atingiu um novo recorde absoluto em junho de 2021.

Em suma, também neste âmbito, a publicação do CDS-PP apresenta dados corretos. Pelo que classificamos este conteúdo, no global, como difusor de informação verdadeira.

___________________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network