"Joe Berardo foi um dos vários que foram condecorados e hoje são devedores de fortunas aos bancos. Os antigos presidentes da República Américo Tomás, Ramalho Eanes, Mário Soares, Jorge Sampaio e Cavaco Silva fizeram as condecorações, mas anos ou mesmo décadas mais tarde, viram as suas ações sob escrutínio por falcatruas conhecidas. Há mais 10 pessoas na 'lista negra' da CGD e sete ex-gestores da CGD também condecorados por estes presidentes", lê-se numa recente publicação da página "Tuga Press".

Seguem-se as listas dos supostos "11 devedores e sete ex-gestores" da Caixa Geral de Depósitos (CGD) que terão sido condecorados pela Presidência da República, em diferentes períodos de tempo.

Vários leitores do Polígrafo depararam com esta publicação e solicitaram uma verificação de factos.

Ora, a informação constante da publicação em análise da página "Tuga Press" consiste basicamente na cópia de um artigo publicado no "Jornal de Notícias", na edição de 17 de maio de 2019. Inclusive os quadros das listas com os 11 devedores e 7 ex-gestores da CGD que têm condecorações.

E começando desde logo pelas condecorações da Presidência da República, confirma-se que a informação é verdadeira: os 18 nomes referidos estão, de facto, inscritos na base de dados de entidades nacionais com ordens portuguesas (pode conferir aqui, na página oficial do Grão-Mestre das Ordens Honoríficas Portuguesas).

"Joe Berardo foi apenas um de vários grandes devedores da CGD que mereceu a atribuição de condecorações pelos presidentes da República Américo Tomás, Ramalho Eanes, Mário Soares, Jorge Sampaio e Cavaco Silva. O 'Jornal de Notícias' descobriu mais 10 personalidades ligadas às empresas na 'lista negra' do banco público. E há pelo menos sete ex-gestores que também foram distinguidos pelos presidentes da República", lê-se no artigo do "Jornal de Notícias", plagiado quase integralmente pela página "Tuga Press".

"Os presidentes da República Américo Tomás, Ramalho Eanes, Mário Soares, Jorge Sampaio e Cavaco Silva condecoraram pelo menos 11 personalidades que estão ou estiveram ligadas a alguns dos 25 grandes créditos ruinosos da Caixa Geral Depósitos (CGD), incluindo Joe Berardo, que poderá perder o seu título de comendador. Do lado da CGD, identificámos pelo menos sete ex-gestores que poderão ter tido mais ou menos influência na concessão daqueles empréstimos concedidos entre 2000 e 2015", acrescenta o mesmo artigo.

Em suma, a publicação em análise difunde informação verdadeira, ainda que plagiada a partir de um artigo de jornal, sem a devida indicação (ou pedido de autorização). Importa apenas salientar que no caso do ex-gestor Armando Vara, atualmente a cumprir uma pena de prisão de cinco anos (condenado por crime de tráfico de influência), já perdeu a sua condecoração. A lei estipula a "irradiação automática dos membros que por sentença judicial transitada em julgado tenham sido condenados pela prática de crime doloso punido com pena de prisão superior a três anos", pelo que o Conselho das Ordens Nacionais efetivou a irradiação de Vara no dia 31 de janeiro de 2019.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro