"A 17 de maio, o PSD perguntou se os aeroportos estavam preparados para o aumento de passageiros. Hoje, a comunicação social noticia as filas de grandes dimensões no aeroporto de Faro e turistas que perderam o voo", lê-se num tweet publicado na conta oficial do PSD, a 31 de maio.

"O PSD antecipou o problema. Mais uma vez o Governo não atuou", denunciam os sociais democratas, anexando uma imagem com o relato do sucedido: "17 de maio 2021: PSD pergunta ao Governo se aeroportos estão preparados para aumento de passageiros; 31 de maio 2021: Filas no aeroporto de Faro devido a testes à Covid-19. Há relatos de turistas que perderam o voo".

No documento endereçado ao ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, e ao ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, de 17 de maio, o PSD começa por indicar que "no âmbito do processo de desconfinamento, estão a ser adotadas medidas que eliminam as restrições de mobilidade entre Portugal e países terceiros à União Europeia, como é o caso do Reino Unido, nomeadamente no que respeito a viagens não essenciais, isto é, as que dizem respeito ao segmento de turismo e lazer".

"Nesse sentido, e também pela progressiva normalização dos fluxos de passageiros intra-União Europeia, é esperado um paulatino aumento do número de passageiros a desembarcar em território nacional, pelo que importa que os aeroportos estejam devidamente preparados para acolher os visitantes, em estrito respeito pelas condições de saúde pública e de conforto adequadas", continuam os sociais-democratas.

Para tal, o PSD salientou a necessidade de "meios humanos" e de um "plano operacional" que atenda, entre outros, "ao facto de ser necessário proceder à verificação dos comprovativos de testes Covid-19 negativos apresentados pelos passageiros, articulado entre todas as entidades públicas e privadas envolvidas".

Nesse sentido, e de acordo com as normas regimentais vigentes, o partido tenciona obter resposta para as seguintes questões:

"1. Dispõe o Governo de um plano para responder ao aumento do número de passageiros nos aeroportos nacionais, de modo a salvaguardar a saúde pública, o condigno tratamento dos visitantes e o regular funcionamento das infraestruturas aeroportuárias?
2. Quais são as principais providências adotadas? Registar-se-á, comparativamente ao ano passado, maior alocação de meios humanos para esta tarefa? Se sim, em que medida?"

Mas será verdade que o Governo descartou mesmo as recomendações/questões do PSD? E que o Aeroporto de Faro esteve sobrelotado nos últimos dias?

De facto, e segundo os sociais democratas, não houve ainda resposta do Governo relativamente às questões acima mencionadas. Ainda assim, não se pode dar por fechada esta hipótese uma vez que o prazo regimental para resposta é de 30 dias, ou seja, termina apenas a 16 de junho.

No que respeita à situação verificada no Aeroporto de Faro, a SIC Notícias fazia referência, numa peça de 30 de maio, a filas problemáticas na espera para a realização de testes à Covid-19, acrescentando que "apesar de ter sido anunciado que há protocolos com mais de 160 laboratórios no Algarve para a realização dos exames, essa informação está a passar ao lado de muitos turistas".

Num artigo do SAPO24, de 18 de maio, João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), disse mesmo que devido ao fluxo de turistas, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) "teve um reforço de efetivos, também com a ajuda da PSP, para fazer os controlos sanitários — verificação de testes PCR à entrada —, sobretudo para os passageiros Schengen, para a maioria dos voos da Europa".

Contactado pelo Polígrafo no sentido de esclarecer a origem das filas no passado domingo, o SEF do Aeroporto de Faro encaminhou as responsabilidades para as entidades que realizam testes naquele espaço: a DGS e alguns laboratórios privados. Nesse sentido, o Polígrafo contactou ainda a gestão do Aeroporto de Faro, mas não obteve resposta em tempo útil para a publicação deste artigo.

Assim, é verdade que embora o PSD tenha alertado para o aumento do número de passageiros chegados aos aeroportos portugueses, poucos dias depois o Aeroporto de Faro recebeu milhares de estrangeiros que formavam filas para fazer o teste à Covid-19. Ainda assim, é cedo para alegar que o "Governo não atuou", tendo ignorado as duas recomendações do Grupo Parlamentar do PSD. Desde logo pelo reforço dos efetivos do SEF, bem como pelos dias que restam ao Governo para responder à questão dos democratas (até dia 16 de junho).

____________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro, mas...
International Fact-Checking Network