"As tais teorias da conspiração", escreve o autor de uma publicação no Twitter, de 21 de março, onde é partilhada uma imagem que inclui parte de um texto em português, outro em francês e ainda uma captura de ecrã onde se vê Denys Shmyhal, primeiro-ministro da Ucrânia.

No texto em português é possível ler que o "governo ucraniano dará ajuda financeira às pessoas que estão sem trabalho e sem dinheiro devido à guerra. Para o efeito, as pessoas terão que ter um certificado digital, que funciona como porta-moedas digital e poderá ser obtido, exclusivamente, através da vacinação". Já em francês, acrescenta-se que "um representante do governo ucraniano anunciou que os cidadãos e empresas que perderam o seu emprego, as suas economias e os seus negócios, podem beneficiar de um apoio governamental".

Também no Twitter tem sido partilhado um excerto de uma intervenção do chefe de Governo ucraniano e a frase "No vax, no food", ou "sem vacina, sem comida", em tradução livre para português. As publicações referem, na sua larga maioria, que apenas os cidadãos vacinados podem ter acesso a esta ajuda de emergência do Governo. "Já estão a juntar os pontos?", questiona-se ainda.

O vídeo que tem sido partilhado, com 51 segundos, está dobrado em inglês. A certa altura, Denys Shmyhal anuncia um plano para ajudar os cidadãos ucranianos afetados pela guerra com uma verba de 6,500 hryvnias (200 euros) e explica que o apoio vai funcionar "por analogia com os incentivos da vacinação, ou seja, através da aplicação Diia".

Contudo, na versão completa do discurso feito a 6 de março, com cinco minutos de duração, disponível na sua página oficial no Facebook e no canal em inglês da UATV no YouTube, é possível perceber que o primeiro-ministro estava apenas a explicar como o apoio pode ser pedido e recebido.

A aplicação Diia, referida pelo primeiro-ministro, foi lançada em 2020 pelo Governo ucraniano para ajudar os cidadãos a ter documentos importantes disponíveis no telemóvel, como o cartão de cidadão e a carta de condução. Em dezembro de 2021, a mesma aplicação foi usada pelo Governo para oferecer incentivos à vacinação da população, no valor de 1.000 hryvnias (pouco mais de 30 euros).

Assim, Denys Shmyhal apenas explica que o apoio agora dado pelo Govermo ucraniano às vítimas da guerra será pago através da mesma aplicação, não havendo qualquer referência à obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19 ou ao certificado digital.

No discurso feito três dias antes, a 3 de março, também o presidente Volodymyr Zelensky garantiu: "Todos os trabalhadores, todos os empresários, todos os cidadãos a quem a Rússia tirou a oportunidade de trabalhar, vão receber 6,500 hryvnias sem qualquer condição adjacente."

___________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.