"Governo argentino bloqueia todas as contas bancárias dos cidadãos, viva o socialismo!" Esta é a mensagem da publicação em causa, a qual já acumula cerca de 600 partilhas no Facebook.

Contas bancárias na Argentina

Foi denunciada por vários utilizadores dessa rede social como sendo fake news. Confirma-se?

De acordo com uma notícia do jornal argentino "La Nación", datada de 13 de julho de 2020, alguns bancos na Argentina decidiram bloquear determinadas contas, devido a um aumento "inusual" nas transferências de dólares norte-americanos.

Após uma primeira etapa de notificações, na qual advertiram os clientes sobre os riscos de utilizar a quota de compra de dólares de outra pessoa para seu próprio benefício, alguns bancos começaram a bloquear as contas de poupanças em dólares nas quais se detectam "movimentos inusuais".

Segundo reportou o mesmo jornal, os clientes visados ficam assim impedidos de aceder à conta até que justifiquem as operações consideradas suspeitas.

A medida tem como objectivo dissuadir os clientes que terão recorrido a outras pessoas para que, em troca de uma comissão, lhes transfiram os 200 dólares mensais que podem comprar no mercado oficial, utilizando a sua quota que, por determinação do banco Central, é pessoal e intransmissível.

Em suma, não é verdade que o Governo da Argentina tenha bloqueado "todas as contas bancárias dos cidadãos". A alegação da publicação em causa é falsa.

_______________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network