Paulo de Morais, antigo candidato à Presidência da República e atual presidente da associação Frente Cívica, escreveu na sua página no Facebook que o governador do Banco de Portugal recebe 16.926,82 euros mensais.

"Centeno, governador do Banco de Portugal ganha, por mês, 16.926,82 euros. Esta verba representa 27 vezes o valor do salário mínimo, que é miserável, muito por causa dos disparates que o Banco de Portugal permitiu à banca nos últimos vinte anos", afirmou numa publicação que já tem mais de 1500 partilhas.

É verdade que o vencimento de Mário Centeno corresponde a 27 salários mínimos nacionais?

Após uma consulta da informação disponibilizada no site oficial do Banco de Portugal, conclui-se que o salário de Mário Centeno, enquanto governador da instituição, é mesmo de 16.926,82 euros. Essa tem sido a remuneração mensal do governador do Banco de Portugal desde 2017, mas Mário Centeno só está no cargo desde julho de 2020.

Luís Máximo dos Santos, vice-governador, aufere 15.868,90 euros mensais, já os administradores Hélder Rosalino, Luís Laginha de Sousa e Ana Paula Serra recebem 14.810,98 euros por mês.

Atualmente, o salário mínimo nacional é de 665 euros mensais, como está previsto no Decreto-Lei n.º 109-A/2020, de 31 de dezembro. Assim, dividindo o valor auferido por Mário Centeno pelo salário mínimo nacional chega-se à conclusão que o salário do governador do Banco de Portugal é 25 vezes o salário mínimo. Contudo, caso as contas sejam feitas relativamente aos 635 euros que definiam o salário mínimo em 2020, o valor faz 27 vezes o salário mínimo do ano passado.

A remuneração mensal do vice-governador do Banco de Portugal representa 24 vezes o salário mínimo e o vencimento de cada administrado do Conselho de administração corresponde a 22 salários mínimos.

Em suma, apesar dos valores apresentados por Paulo de Morais não serem totalmente corretos, aproximam-se da realidade. Assim, a informação é verdadeira.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Assina a Pinóquio

Fica a par de todos os fact-checks com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Recebe os nossos alertas

Subscreve as notificações do Polígrafo e recebe todos os nossos fact-checks no momento!

Em nome da verdade

Segue o Polígrafo nas redes sociais. Pesquisa #jornalpoligrafo para encontrares as nossas publicações.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network