Nas redes sociais multiplicaram-se os posts que criticavam as autoridades pela inação perante os confrontos. "Estas imagens e outras que já foram publicadas são prova viva que vivemos num mundo louco onde cada vez mais prevalece a violência e as nossas autoridades não têm qualquer poder para intervir nestes desacatos"; "Quem assegura a segurança dos cidadãos, contra tipos desta natureza? O que têm a dizer o Dr. Cabrita (custa-me chamar-lhe ministro) e o atual Presidente da CM Reguengos de Monsaraz, responsáveis máximos pela segurança dos cidadãos daquele concelho? Nomeadamente, o que estava lá a fazer a GNR? Nem sequer lhe pediram os documentos e multaram, como tanto gostam de fazer?",  lê-se em duas publicações divulgadas no Facebook durante este sábado.

GNR
GNR

No vídeo em causa é possível identificar dois agentes da Guarda Nacional Republicana (GNR), que mantêm uma postura quase inerte durante todo o desenvolvimento, inclusive quando um dos envolvidos voltou a entrar no carro e atropelou três das pessoas que estavam no local.

Em comunicado, a GNR informa o seguinte: "Atendendo ao vídeo que circula nas redes sociais e demais plataformas, relativamente às agressões ocorridas num estabelecimento, na área de atuação do Posto de Reguengos de Monsaraz, pelas 22h30 do dia 16 de julho, a GNR esclarece que a patrulha às ocorrências foi chamada a um estabelecimento de venda de bebidas ao público, uma vez que um grupo de indivíduos tentava entrar e foi-lhes vedado o acesso porque não se faziam acompanhar do respetivo certificado digital Covid-19."

Quando a patrulha se apresentou no local, acrescenta a GNR, "tentou cessar o desentendimento, mas dada a quantidade de pessoas no local, acionou os meios de reforço, de forma a preservar a segurança e a integridade física dos demais envolvidos e dos próprios militares da GNR". Os reforços não chegaram, ainda assim, a tempo de evitar a entrada de um dos envolvidos no carro, tendo este logo depois avançado contra a esplanada onde se encontravam várias pessoas.

Do atropelamento resultaram três feridos, sendo que um dos indivíduos, com 23 anos, teve mesmo que ser transportado para o hospital de Évora. Embora tenha intentado a fuga, o condutor da viatura foi posteriormente identificado e o carro apreendido pela GNR.

Sabe-se ainda que vai ser instaurado um processo de "averiguações para apuramento de eventual responsabilidade disciplinar relativamente à atuação dos militares da GNR".

Rui Rio, líder do PSD, já se manifestou no Twitter, questionando sobre qual a justificação que têm o "Ministro da Administração Interna e o Primeiro-ministro - que diz que ele é um excelente governante - sobre esta cena de violência, perante a total condescendência da GNR".

Rui_Rio

"Facilitismo e impunidade são via para o caos, não são caminho para o desenvolvimento", rematou o social democrata, num tweet divulgado na manhã deste sábado.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Verdadeiro" ou "Maioritariamente Verdadeiro" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network