"Vou derrubar os Estados Unidos da América financiando grupos de ódio negro. Vamos colocá-los numa armadilha mental e fazê-los culpar os brancos. A comunidade negra é a mais fácil de manipular". Esta é a citação atribuída a George Soros na publicação em causa (detectámos versões em língua inglesa e portuguesa), remetendo para uma entrevista ao jornal alemão "Bild", em setembro de 2014.

Confirma-se a veracidade da citação e da entrevista?

Não. Consultando o arquivo do jornal "Bild", não encontramos qualquer registo da suposta entrevista a George Soros em 2014. Também não encontramos qualquer registo da suposta citação.

A Snopes, plataforma norte-americana de verificação de factos, também analisou esta publicação (em 2016) e concluiu no mesmo sentido: George Soros não foi entrevistado pelo referido jornal alemão em 2014, nem proferiu tal afirmação. A Agência Lupa, congénere brasileira, também classificou tal conteúdo viral online - mais recentemente - como sendo fake news.

Esta espécie de meme ressurgiu no contexto dos protestos em curso nos EUA, na sequência da morte do afro-americano George Floyd, por asfixia, vítima de violência policial em Minneapolis. Através de vários conteúdos nas redes sociais, George Soros tem sido acusado de alegadamente estar a financiar as manifestações.

No Twitter, por exemplo, Candace Owens, uma ativista política conservadora, acusou o investidor e a sua fundação - a Open Society Foundations - de terem contratado os manifestantes.

"O chefe da polícia de Minneapolis acabou de confirmar que muitos dos manifestantes que estão a queimar a cidade não são de Minneapolis. O meu palpite: como fez com os Antifa, o democrata George Soros está a pagar a estes bandidos. Está a financiá-los atráves da Open Society Foundations", escreveu Owens.

A própria Open Society Foundations (ou a respetiva página oficial no Twitter, mais corretamente) respondeu ao tweet sublinhando que "o senhor Soros e a Open Society Foundations opõem-se a qualquer tipo de violência e não pagam às pessoas para protestar. Lamentamos o esforço, através de alegações infundadas, de distrair da crise da brutalidade policial em Minneapolis e em muitas outras partes do país".

_________________________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network