"Fundador do Médicos pela Verdade é preso por 'falar de medicina' em protesto, na Argentina", lê-se no título de um texto publicado numa página na Internet.

De acordo com o artigo, "Mariano Arriaga estaria muito ferido, sem comer nem beber e teria sido colocado em uma cela aberta, sem proteção ao frio e sem acesso a advogado". As fontes das alegações são relatos nas redes sociais.

A detenção ocorreu no dia 25 de maio, em Rosário, "durante um protesto pacífico em praça pública". A manifestação era contra supostas experiências médicas realizadas a partir da vacinação em massa e sobre as medidas restritivas impostas pelo governo argentino que são apelidadas de "ditadura sanitária".

É verdade que o fundador dos autodenominados “Médicos pela Verdade” foi detido?

O Polígrafo verificou vários sites da imprensa argentina e confirma-se que o oftalmologista foi detido durante uma manifestação na cidade de Rosário. No entanto, nem tudo o que foi descrito no texto é verdade.

A rede internacional "Médicos pela Verdade": Uma marca negacionista registada pela espanhola Natalia Prego
A rede internacional "Médicos pela Verdade": Uma marca negacionista registada pela espanhola Natalia Prego
Ver artigo

Por exemplo, no "La Capital" escreve-se que Mariano Arriaga foi detido a 25 de maio nas imediações do Monumento à Bandeira. "Arriaga foi detido porque tinha uma ordem de captura por instigação à prática de crimes, instigação pública e violação de medidas sanitárias contra a pandemia", explica-se na notícia.

Mais, segundo o artigo publicado pelo "La Capital", "houve tensão e incidentes" durante o protesto "quando a polícia dispersou os manifestantes com balas de borracha".

Nas redes sociais do jornal argentino foi publicado um vídeo em que se mostram alguns desses momentos de tensão.

No momento da detenção, Mariano Arriaga alegou que a ordem de detenção se baseava em "violações da Constituição nacional" e que os polícias seriam "cúmplices" se obedecessem à ordem.

Mariano Emilio Arriaga Ferré já esteve envolvido em outras polémicas. Em 2006, por exemplo, foi acusado de um crime após operar um suposto glaucoma. Contudo, após outros profissionais observarem o paciente, não foi detetada qualquer lesão referente à cirurgia. Foi condenado a 80 horas de trabalho comunitário numa biblioteca.

Em suma, é verdade que Mariano Arriaga foi detido durante um protesto em Rosário. A detenção deveu-se a acusações de instigação à prática de crimes e violação das medidas sanitárias, durante uma manifestação que não foi tão pacífica como é referido no texto sob verificação.

__________________________________________

Avaliação do Polígrafo:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network