"Cá está a verdade mentira", começa por salientar o autor da publicação, baseada numa imagem de um telejornal em que o concelho de Freixo de Espada à Cinta aparece sinalizado como tendo "risco extremamente elevado" no contexto da pandemia de Covid-19, com um total de 3.153 pessoas infetadas, emparelhada a outra imagem replicada a partir da Wikipédia em que se indica que a mesma localidade terá apenas 2.188 habitantes.

"Imprensa, inimiga da sociedade", lê-se num dos comentários à publicação que surgiu ontem, dia 5 de dezembro, no Facebook.

Posto isto, é verdade que Freixo de Espada à Cinta tem mais infetados com Covid-19 do que habitantes no total?

Começando pelo número de infetados, de acordo com os dados mais recentes da Direção-Geral da Saúde (DGS) ao nível específico de cada concelho, Freixo de Espada à Cinta regista 3.153 infetados (este número corresponde a uma taxa de incidência por cada 100 mil habitantes) e está sinalizado como tendo "risco extremamente elevado" no contexto da pandemia de Covid-19.

Na nota explicativa dos dados por concelhos é indicado que a incidência cumulativa "corresponde ao quociente entre o número de novos casos confirmados nos 14 dias anteriores ao momento de análise e a população residente estimada".

Aliás, tal como noticiou a Agência Lusa no dia 30 de novembro de 2020, o concelho de Freixo de Espada a Cinta é o que regista um maior número de infeções por 100 mil habitantes, ao nível nacional. Importa porém ressalvar que estes dados já estarão desatualizados, embora sejam os mais recentes disponibilizados pela DGS.

Quanto ao número de habitantes, consultando a referida página na Wikipédia verificamos que se trata de um equívoco: nessa página indica-se que a vila de Freixo de Espada à Cinta, pertencente ao distrito de Bragança, tem 2.188 habitantes (de acordo com os Censos de 2011); mas indica-se também que o município ou concelho de Freixo de Espada à Cinta tem 3.780 habitantes (também de acordo com a mesma fonte).

Ora, os dados da DGS quanto ao número de infetados são referentes ao concelho (no seu todo) e não apenas à vila de Freixo de Espada à Cinta. Mais, corresponde a uma taxa de incidência por cada 100 mil habitantes, não ao número total de pessoas infetados no concelho que é inferior (na medida em que o total da população é inferior a 100 mil).

Além de confirmar estes números na base de dados dos Censos de 2011 (sim, estão corretos), o Polígrafo encontrou uma segunda fonte: o Relatório de Avaliação sobre o Estado do Ordenamento do Território (REOT) de Freixo de Espada à Cinta, datado de dezembro de 2019, publicado na página da respetiva Câmara Municipal.

"Observando os resultados dos censos para a população (Nº) por Local de residência, Sexo e Grupo etário, constantes da tabela 1, entre 2001 e 2011, verifica-se, para Freixo de Espada à Cinta, um decréscimo da sua população, passando de 4.184 habitantes em 2001 para 3.780 habitantes em 2011, correspondendo a uma variação de -9,66%, ou seja, menos 404 habitantes no espaço de uma década", informa-se nesse documento.

Pelo que concluímos que a publicação sob análise está a difundir informação falsa, devido a um equívoco em torno dos números de habitantes da vila e do município ou concelho de Freixo de Espada à Cinta. Também se confunde o número de infetados com a taxa de incidência de infetados em proporção da população do concelho.

Não, não é verdade que tenha mais infetados com Covid-19 do que habitantes no total.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network