"Como se pode ver, as obras da nova Ala Pediátrica do São João que [António] Costa foi visitar em campanha eleitoral estão a decorrer a um ritmo estonteante. A vergonha quando nasceu passou por esta gente a correr", escreveu Tiago Silva na rede social Twitter, a 13 de outubro, indicando também que a fotografia em causa foi captada na semana passada.

A fotografia das obras paradas ou por começar tornou-se viral, espalhando-se velozmente pelo Twitter e pelo Facebook, por entre diversas mensagens a recordar que António Costa, primeiro-ministro e secretário-geral do PS, visitou o local durante a campanha eleitoral. Mas será que essa fotografia é autêntica?

Sim, a fotografia retrata, de facto, o local onde vai ser construída a nova Ala Pediátrica do Hospital de São João no Porto. E foi captada recentemente, de acordo com vários trabalhadores do Hospital de São João que o Polígrafo contactou para confirmar esta informação.

Também se confirma que o primeiro-ministro António Costa visitou o local durante a campanha eleitoral, mais especificamente no dia 2 de outubro. Essa ação de campanha, aliás, foi destacada nas páginas oficiais de António Costa e do PS na rede social Facebook.

"Este Governo conseguiu finalmente uma solução para a Ala Pediátrica do Hospital de São João, no Porto. Retirámos do papel o que estava pensado há muito e a obra arrancou no passado dia 25 [de setembro]. Foram precisos 10 anos para encontrar esta solução. Agora que está já em andamento, não devemos voltar atrás", pode ler-se na publicação da página de António Costa.

Importa porém ressalvar que, apesar de as obras parecerem estar paradas ou ainda nem terem começado, o facto é que a construção da nova Ala Pediátrica do Hospital de São João ainda está dentro do prazo previsto.

Em visita ao Porto no dia 30 de agosto de 2019, a ministra da Saúde enalteceu o cumprimento do calendário estabelecido em outubro de 2018 para a construção da nova Ala Pediátrica que deverá ficar concluída em 2021. Marta Temido falou no decurso da cerimónia de assinatura do contrato para a construção da obra, entre o Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ) e a Casais - Engenharia e construção, selecionada de um conjunto de 14 empresas convidadas. A ministra considerou que deste processo tirou-se “uma lição importante”, salientando que “por vezes os atalhos não nos conduzem às melhores soluções”.

“Foi graças à possibilidade de pôr de parte as questões acessórias e de nos focarmos no essencial que conseguimos, por exemplo, a aprovação da Lei de Bases da Saúde. E foi também por conseguirmos pôr de parte questões pessoais e até institucionais que hoje aqui estamos a assinar este documento”, sublinhou. A ministra acrescentou que, “nos próximos meses, a Casais irá fazer o que falta para que em 2021” a obra esteja “concretizada”.

Nessa altura, o Polígrafo confirmou a veracidade das afirmações da ministra da Saúde.

No dia 24 de outubro de 2018, o primeiro-ministro António Costa anunciou que o reforço do orçamento da Saúde permitiria "avançar com o lançamento" do concurso para a nova Ala Pediátrica do Hospital de São João, mas a ministra da tutela ressalvou que não havia ainda uma data prevista.

“É graças a este reforço que vai ser possível lançar cinco novos hospitais, um conjunto de obras em hospitais importantes (...) e vamos, por exemplo, poder avançar com o lançamento do concurso para a nova Ala Pediátrica [do Hospital de São João]”, disse António Costa, ao discursar na inauguração de uma nova unidade de saúde em Baguim do Monte, Gondomar.

Confrontada com as declarações do chefe do Executivo, no mesmo dia, a ministra da Saúde disse que não havia ainda uma data para lançar a obra referida por António Costa. "Não, não tenho data para esse concurso porque não avançarei com datas que não tenho a certeza de poder cumprir e que não estão nas estritas mãos do Ministério da Saúde. Estão nas mãos de um conjunto de profissionais que estão empenhados em responder o melhor e mais depressa possível às necessidades de longa data do Hospital de São João", declarou então Marta Temido.

Posteriormente, no dia 25 de dezembro de 2018, a ministra da Saúde afirmou que as obras da nova ala pediátrica do Centro Hospitalar de São João deveriam arrancar em 2019 e ficar concluídas em 24 meses.

No final de uma visita aos serviços pediátricos do Hospital de São João, onde acompanhou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, Marta Temido indicou que as obras poderiam começar em abril de 2019, depois de um período para a revisão do projeto - algo que o Código dos Contratos Públicos exige por razões de segurança - e o processo de ajuste direto. Considerando que os riscos de derrapagem nos prazos existem sempre, a ministra referiu que “aquilo que estamos apostados em fazer é cumprir este cronograma e minimizar todos os riscos possíveis no sentido de garantir que esta obra acontece”.

Em suma, apesar de algumas incongruências quanto aos prazos e tendo em conta que as obras não começaram em abril de 2019, como a ministra da Saúde admitiu que seria possível no final de 2018, entendemos ainda assim que o calendário da construção da ala pediátrica está a ser cumprido na sua componente mais importante: a conclusão prevista para 2021.

.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro, mas...