"Foto em algum país progressista da Europa? Não. Essa foto é da década de 1970, no Afeganistão. Nessa época o país tinha um governo socialista. Sabe quem acabou com esse governo? Os EUA, que promoveram os taliban", escreve-se numa publicação no facebook, datada de 19 de agosto.

Não é a primeira vez que a fotografia circula na Internet. Mas será que retrata mesmo um grupo de jovens mulheres a usar mini-saias, calças de ganga e com cabelo à mostra no Afeganistão dos anos 70?

Não. A fotografia em causa é da década de 1970 mas não foi captada no Afeganistão nem na Europa. Numa busca reversa da imagem no Google, o Polígrafo encontrou a mesma imagem num artigo do site Foreign Policy, publicado a 16 de fevereiro de 2012, intitulado "Era uma vez em Teerão".

Na legenda pode ler-se: "Estudantes da Universidade de Teerão em 1971. A Universidade de Teerão permitiu estudantes femininas em 1934, quando foi fundada, bem antes de a maioria das universidade nos EUA aceitarem mulheres. Depois da revolução [entre 1978 e 1979], as mulheres ainda eram autorizadas a frequentar a universidade, mas tinham de sentar-se em áreas segregadas. Escusado será dizer, não podiam usar mini-saias."

Os créditos da imagem são atribuídos a Kaveh Farrokh, um historiador grego premiado. A mesma fotografia foi publicada no seu site pessoal, num artigo chamado "Velha Teerão 1960 e 1970", com a legenda "Estudantes universitárias em 1971" e os créditos atribuídos a R. Tarverdi & A. Massoudi.

A mesma imagem apareceu neste artigo de 2015, da CNN Turquia, sobre a revolução iraniana; num trabalho do britânico Daily Mail, em 2017; e também neste testemunho publicado no The Independent, em 2018.

A revolução iraniana retirou do poder o rei Mohammad Reza Pahlavi, o último Xá do Irão, que foi substituído pelo ayatollah Ruhollah Khomeini. O país deixou de ser uma monarquia e passou a ser uma república islâmica, com novas regras, nomeadamente o uso obrigatório do hijab para as mulheres.

A fotografia em análise voltou a circular nas redes sociais após os taliban terem tomado Cabul, 20 anos depois, com a retirada do exército norte-americano. No entanto, apesar de esta imagem em particular não ter sido captada no Afeganistão, o facto é que antes da chegada dos taliban também as mulheres afegãs podiam estudar, usar saias curtas e mostrar o cabelo, como é possível verificar neste artigo do jornal britânico The Guardian ou neste trabalho do jornal norte-americano The New York Times.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebook, este conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafo, este conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network