“‘Confiem na imprensa’”, ironiza o autor de um tweet partilhado no dia 16 de maio. “Para quem não entendeu, usaram uma foto de uma equipa de paintball para noticiar sobre a guerra na Ucrânia”, acrescenta o internauta, referindo-se a uma fotografia que foi publicada originalmente num artigo da Reuters.

“Certificaram-se que utilizaram bolas de tinta de cores diferentes?” ironiza-se num dos comentários. “Essa foto é claramente de pessoas a usarem equipamento e armas de paintball, e não tem nada a ver com o conflito na Ucrânia. Algum comentário, Reuters?”, questiona outro utilizador do Twitter. “São pessoas a jogar paintball”, afirma-se noutro tweet.

A publicação da Reuters é real e a notícia, entretanto arquivada, informa que os guardas de fronteira ucranianos conseguiram impedir a invasão de um grupo russo na região de nordeste de Sumy, no dia 16 de maio. Quanto à fotografia utilizada para ilustrar o artigo, captada pela fotógrafa Zohra Bensemra, remete para um exercício de treino também na mesma cidade da Ucrânia, mas realizado no dia 15 de abril.

A verdade é que houve uma interpretação errada do artigo em questão. Na própria peça jornalística, a origem da imagem é clarificada, através da legenda: “Membros da força de defesa territorial frequentam formação, após a invasão russa da Ucrânia, no exterior de um edifício abandonado em Sumy, Ucrânia, a 15 de abril de 2022."

Perante inúmeras publicações e comentários que aproveitaram o artigo para por em causa a guerra que está a acontecer na Ucrânia, a própria agência de notícias veio esclarecer o sucedido: "Uma imagem de soldados na Ucrânia foi tirada durante um exercício a 15 de abril, 2022. A imagem, publicada num tweet pela Reuters em maio, não prova que a guerra na Ucrânia é falsa, como foi afirmado e sugerido online."

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
International Fact-Checking Network