O primeiro jornal português
de Fact-Checking

Fórmula 1: Grosjean foi multado por não ter deixado o volante no lugar após violento acidente?

Desporto
Este artigo tem mais de um ano
O que está em causa?
Circula nas redes sociais um suposto comunicado emitido pelos comissários da Federação Internacional de Automobilismo no qual se lê que o piloto da equipa Haas terá sido penalizado (multa de 5 mil euros) por desrespeitar o artigo 22.5 do regulamento da Fórmula 1. Romain Grosjean despistou-se durante o Grande Prémio do Bahrain e o carro incendiou-se. O documento em causa é verdadeiro?

Foi no último domingo, 29 de novembro, o dia em que terá sido emitido o comunicado, que o Haas pilotado por Romain Grosjean embateu a 220 km/hora num dos rails de proteção do circuito de Sakhir.  O piloto, envolto numa bola de fogo, conseguiu sair 28 segundos após o impacto e afastou-se do incêndio, auxiliado pela equipa do carro médico. A corrida foi interrompida, para limpar a pista e retirar o que restava do monolugar destruído do local.

No entanto, segundo o documento que está a ser partilhado nas redes sociais, a violência do acidente não terá evitado que o piloto francês fosse castigado pelos comissários da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), sendo Grosjean acusado de ter violado o artigo 22.5 do regulamento da Fórmula 1 ao não deixar o volante colocado no lugar após sair do carro. 

Grosjean

Consequentemente, lê-se no suposto comunicado dos comissários da FIA, Grosjean teria sido multado em 5 mil euros e sofrido uma penalização de dois pontos. 

Confirma-se que Romain Grosjean foi penalizado por violar o artigo 22.5 do regulamento da F1 que obriga os pilotos a deixarem o volante no lugar quando saem do carro? Verificação de factos.

Uma pesquisa pela imagem, utilizando a ferramenta RevEye, permite chegar a uma publicação numa página do fórum online Reddit intitulada como “Regras são regras”. Aqui encontram-se vários os comentários que alertam para a falsidade do documento, sendo que um deles aponta para as diferenças do tipo de letra – e do tamanho da mesma – utilizado neste comunicado e noutros emitidos pelo mesmo organismo.

Além disso, também é possível reparar que algumas partes da missiva, como a zona da data, estão sombreadas, sinal de que o texto original foi coberto. Na imagem abaixo surgem o comunicado que circula nas redes sociais e um comunicado oficial da FIA relativo a uma infração idêntica:

Grosjean montagem

 

O artigo 22.5 do regulamento da Fórmula 1 para 2020 determina que “o piloto que abandonar o carro deve deixá-lo em ponto morto ou com a embreagem desengatada, com o ERS [ndr: Sistema de Recuperação de Energia] desligado e com o volante no lugar”.

Mas até hoje, dia 4 de dezembro, a única decisão relativa ao acidente de Grosjean comunicada pela FIA foi a abertura de uma investigação, liderada pelo departamento de segurança do organismo, com o objetivo de descobrir o que provocou o embate e consequente explosão.

FIA

Além disso, as últimas decisões da FIA conhecidas até hoje e publicadas no site oficial do organismo remetem para o Grande Prémio anterior ao do Bahrain, que se realizou na Turquia. Uma delas tinha como alvo um carro da Haas, mas era o de Kevin Magnussen, colega de Grosjean.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Adulterado: conteúdos de imagem, áudio ou vídeo que tenham sido editados ou sintetizados para além dos ajustes de clareza ou qualidade de formas que podem induzir as pessoas em erro; esta definição inclui emendas, mas não excertos dos conteúdos multimédia ou a apresentação de conteúdos multimédia fora do contexto; ao abrigo dos nossos Padrões da Comunidade, também removemos determinados vídeos manipulados produzidos por inteligência artificial ou aprendizagem automática e que provavelmente induziriam uma pessoa comum a acreditar que o interveniente do vídeo proferiu palavras que realmente não disse.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Partilhe este artigo
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn

Relacionados

Em destaque