É um exercício de "antes e depois" que procura esclarecer o que alegadamente aconteceu num local que ardeu há mais de três anos. A publicação na rede social Facebook apresenta duas imagens: na primeira fotografia, datada de 12 de janeiro de 2017, pode ver-se aquilo que parece ser um incêndio de grandes dimensões; na fotografia seguinte, datada de 4 de julho de 2018, aparece um alegado conjunto de turbinas eólicas na zona da suposta área ardida. A publicação foi partilhada por um utilizador português da referida rede social sem identificar o local.

"Coincidências", lê-se na mensagem publicação, dando a entender que o incêndio resultou de fogo posto e tinha como objetivo que as turbinas eólicas fossem ali depois instaladas.

Mas serão as fotografias autênticas? E onde é que foram captadas?

As imagens são de um local na Grécia e não em Portugal, como se dá a entender na publicação em análise. A primeira fotografia é autêntica e ilustra um incêndio que ocorreu na zona florestal de Molykreio, na região de Ática, no dia 27 de agosto de 2017 (e não no dia 12). Já a segunda é uma manipulação: é falso que as turbinas tenham sido instaladas após o incêndio.

Nos círculos brancos estão indicadas as turbinas eólicas e a vermelho a área que ardeu

De acordo com a plataforma de fact-checking grega Ellinika Hoaxes, as turbinas eólicas existentes na zona foram instaladas em maio de 2014, ou seja, três anos antes do incêndio. A mesma fonte recorreu a ferramentas de geolocalização que permitiram concluir que o fogo não ocorreu sequer no mesmo local onde estão instaladas as turbinas.

Através da ferramenta Google Earth (que atualizou as imagens em 2020), também não foi possível ver quaisquer turbinas eólicas na área ardida em 2017.

Em suma, o autor da publicação recorreu a uma montagem para propagar desinformação.

_________________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking (verificação de factos) com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Falso: as principais alegações dos conteúdos são factualmente imprecisas; geralmente, esta opção corresponde às classificações "Falso" ou "Maioritariamente Falso" nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso
International Fact-Checking Network