"A 'greve da Educação' tem dois objetivos: gritar 'Fora Bolsonaro e Lula Livre'; você professor, que tem o mínimo de decência, dignidade pela sua profissão de mestre, não seja massa de manobra nas mãos dessas organizações criminosas como: CUT, MTST, SEPE, PT, PCdoB etc. Eles não querem o Bem para o Brasil, eles querem apenas o pretexto para na sala de aula o professor esquerdista defender seu posicionamento extremista partidário!"

Este é apenas um exemplo das mensagens (sobretudo de apoiantes do presidente Jair Bolsonaro) que acompanharam a publicação nas redes sociais da fotografia de um cartaz com a seguinte mensagem: "Fora Bolsonaro, liberdade para Lula". Supostamente terá sido um dos cartazes mais destacados na manifestação de 15 de maio, no Brasil, contra os cortes na Educação decretados pelo Governo de Jair Bolsonaro.

Mas será que a fotografia do cartaz é verdadeira e foi mesmo captada nas manifestações de 15 de maio no Brasil?

"A imagem não foi tirada durante as manifestações pela educação do dia 15 de maio", segundo apurou a Agência Lupa, plataforma brasileira de fact-checking. "Na realidade, a foto que circula nas redes sociais é de um protesto no dia 31 de março deste ano. O Partido da Causa Operária (PCO) e outras organizações de esquerda convocaram o ato como demonstração de repúdio à celebração do golpe militar de 1964. O evento aconteceu na Avenida Paulista".

"No dia 25 de março, o presidente Jair Bolsonaro determinou que unidades militares celebrassem o dia 31 de março - data do golpe contra o Governo de João Goulart, em 1964, marco inicial da ditadura militar. Na época, o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, afirmou que 'nosso presidente já determinou ao Ministério da Defesa que faça as comemorações devidas com relação ao 31 de março de 1964 incluindo a ordem do dia, patrocinada pelo Ministério da Defesa, que já foi aprovada pelo nosso presidente'", contextuaria a Agência Lupa.

Avaliação do Polígrafo:

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.
Falso