"Talão do jantar do Filipe Nyusi em Lisboa chega aos 9.400 euros, cerca de 660.000 meticais", destaca-se numa das publicações em causa, exibindo a imagem de uma fatura do restaurante "Solar dos Presuntos", em Lisboa, datada de 16 de novembro, com uma despesa total de 9.400,60 euros, dos quais 8.100 euros correspondem a três garrafas de vinho (aparentemente, Château Lafite-RothschildChâteau Pétrus).

Num país em que o salário mínimo nacional mais baixo (varia de acordo com os setores de atividade) não vai além de 4.591 meticais (67,5 euros), a suposta despesa do presidente de Moçambique está a motivar uma vaga de indignação nas redes sociais.

Esta história tem fundamento?

A fatura - apresentada na imagem que está a ser difundida nas redes sociais - já foi atribuída ao primeiro-ministro António Costa e ao presidente do Brasil, Lula da Silva, em ambos os casos falsamente, tal como o Polígrafo já sinalizou.

E o mesmo se aplica ao presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, na medida em que visitou Portugal entre os dias 18 e 20 de novembro, a convite do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

A fatura data de 16 de novembro, sublinhe-se. Nesse dia, Nyusi estava na Finlândia, também em visita oficial, onde defendeu que Moçambique está em "melhor posição" para promover o diálogo entre Rússia e a Ucrânia e reiterou que é "contra a guerra", apesar da sua posição de neutralidade.

  • Médicos com anos de experiência no SNS ganham menos do que recém-licenciado contratado por Mariana Vieira da Silva?

    A contratação de um jovem de 21 anos, sem qualquer experiência profissional, para o cargo de adjunto do gabinete da ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, está a dar que falar nas redes sociais. Não apenas por ser filiado na Juventude Socialista (JS), mas sobretudo pelo salário em causa: 3.732,76 euros por mês. Em reação no Twitter há quem compare com a remuneração de um "médico especialista do SNS" que não vai além de 2.746,24 euros. Os valores indicados têm fundamento?

"Nós estamos de lado de quem quer forçar para que haja um diálogo e, nas oportunidades que temos para falar com a Ucrânia e com a Rússia, reforçamos esta posição. Os dois países cooperam e trabalham com Moçambique e, portanto, estamos em melhor posição para opinar", declarou o presidente de Moçambique, segundo reportou a Agência Lusa, precisamente no dia 16 de novembro.

Ou seja, estamos perante mais uma fake news, desta vez com sucessivos alvos: Costa, Lula, Nyusi.

No que respeita ao governante português, o restaurante em causa publicou desde logo um desmentido.

"Durante o dia de hoje, surgiu uma história fantasiosa sobre a fatura da refeição que o primeiro-ministro teve no 'Solar dos Presuntos' na última quarta-feira. É obviamente falsa! A fatura que circula não corresponde à fatura da refeição do primeiro-ministro. Tivemos o maior prazer em ter o senhor primeiro-ministro a almoçar no nosso restaurante no dia histórico em que se assinalavam os 100 anos de nascimento do José Saramago e ficamos indignados com as falsidades que circulam", esclarece-se.

O Polígrafo contactou o gabinete do primeiro-ministro que confirmou o desmentido. "A fatura que surge associada ao referido almoço não corresponde ao valor da refeição. O próprio restaurante deu conta disso, ontem à noite, na sua página de Facebook", assegura.

__________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.
Falso
International Fact-Checking Network