"O Nuno [Sebastião] fez um grande serviço às empresas portuguesas ao explicar ao ministro [Pedro Siza Vieira] qual é o problema de Portugal", comenta-se num post no Facebook que mostra os tweets em causa.

"Felicito a Feedzai, e o seu CEO Nuno Sebastião, pela conclusão desta Série D de financiamento. A avaliação de 1.000 milhões de dólares é um marco importante e sinónimo da vitalidade da empresa. Uma notícia importante para Portugal que passa a contar com quatro 'startup unicórnios'", escreveu o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, em publicação de 24 de março.

Ao que Nuno Sebastião, diretor executivo da Feedzai, respondeu da seguinte forma: "Obrigado Pedro Siza Vieira. Mas com a sede em Portugal e segundo a lei portuguesa, isto é que ainda não tinha acontecido, já que as restantes têm a sede fora. Se quiseres, depois falamos das coisas que temos de melhorar para ser competitivos com Londres, Nova Iorque, Luxemburgo, Amesterdão".

Não há dúvida quanto à veracidade dos tweets (pode consultar aqui), mas confirma-se que a Feedzai é a primeira empresa portuguesa ao nível "startup unicórnio" com sede em Portugal?

Em entrevista ao jornal "Público", na edição de hoje, Nuno Sebastião reitera que "das empresas que chegaram a este nível, somos na verdade a única portuguesa. As outras não têm cá a sede. O que têm cá é uma sucursal de desenvolvimento. Ou seja, vão pagar os impostos para outro sítio. E porquê? Porque é mais competitivo, porque os investidores internacionais assim o exigem, porque querem levar os centros de decisão das empresas para mais perto deles. Nós sempre fomos  muito claros: não queríamos fazer isso. O valor é para ficar aqui, porque eu quero continuar a contribuir para que o ecossistema se desenvolva. Para tal, a criação de valor tem de ser feita cá".

"Mas, porque é que as empresas mudam a sede? Porque o capital é estrangeiro e o capital manda. As regras são muito simples: 'Eu invisto em ti se mudares a sede para Amesterdão, para Londres, para São Francisco, Nova Iorque ou seja onde for'. No início, houve alguns investidores que, quando nós dizíamos que era para investir em Portugal porque é aqui que temos a sede, nos disseram: 'Não, não vamos fazer isso'. Felizmente desmistificámos isso e hoje em dia já não é um problema. Temos algumas ineficiências em Portugal, alguma falta de competitividade na legislação", sublinha o fundador da Feedzai.

As outras três empresas de origem portuguesa que chegaram ao nível de "startup unicórnio", avaliadas em pelo menos mil milhões de dólares pelos investidores, são a Farfetch, a OutSystems e a Talkdesk.

A Farfetch está sediada em Londres, Reino Unido. Trata-se de uma plataforma digital de comércio de moda de luxo. A Outsystems está sediada em Boston, Estados Unidos da América (EUA). É uma empresa especializada no desenvolvimento de plataformas low-code (aplicações em que é utilizado o mínimo de código possível). A Talkdesk está sediada em São Francisco, EUA. Fornece uma plataforma através da qual as empresas podem personalizar o atendimento telefónico aos clientes.

__________________________________________

Nota editorial: este conteúdo foi selecionado pelo Polígrafo no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook, destinada a avaliar a veracidade das informações que circulam nessa rede social.

Na escala de avaliação do Facebookeste conteúdo é:

Verdadeiro: as principais alegações do conteúdo são factualmente precisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “verdadeiro” ou “maioritariamente verdadeiro” nos sites de verificadores de factos.

Na escala de avaliação do Polígrafoeste conteúdo é:

Siga-nos na sua rede favorita.
Verdadeiro
International Fact-Checking Network