"Sintra - Sinal rodoviário escrito em português brasileiro diz que é proibida a circulação excepto a 'trens' e bicicletas", denuncia-se num tweet de 28 de janeiro que acumula centenas de milhares de interações no X.

Posto isto, o autor da publicação conclui que "aos poucos a língua de Camões que é o português europeu é assassinada pela matriz judaico-cristã".

Em causa está uma fotografia que terá sido captada em Sintra. Retrata um sinal de trânsito - sentido proibido - com a seguinte indicação: "Excepto trens e bicicletas."

A ideia de que terá sido escrito em "português brasileiro" advém da utilização da palavra "trens". Tem fundamento?

Não. O facto é que a palavra "trem" (singular de "trens") existe tanto em português de Portugal (ou português europeu) como em português do Brasil, embora com significados distintos.

Em português de Portugal, "trem" pode significar um "conjunto de objetos que constituem a bagagem de um viajante" ou um "carro de cavalos destinado ao transporte de pessoas; carruagem", de acordo com a definição patente no dicionário da língua portuguesa da Porto Editora.

  • Há utentes a dormir no chão para conseguir “vaga” no centro de saúde da Baixa da Banheira?

    O ano de 2023 terminou com notícias que davam conta de que as urgências do Serviço Nacional de Saúde (SNS) estavam com “dificuldades de atendimento”, segundo admitiu na altura o ministro Manuel Pizarro. Realidade que motivou, no início de janeiro, o alargamento dos horários em dezenas de centros de saúde. Mas será que, na Baixa da Banheira, alguns utentes têm passado noites ao relento para conseguir “vaga” para o dia seguinte?

Por sua vez, em português do Brasil, a mesma palavra significa "comboio".

Tendo em conta a localização do sinal rodoviário, a palavra "trem" refere-se às carruagens puxadas por cavalos que habitualmente fazem passeios pela vila de Sintra.

O Polígrafo contactou a Câmara Municipal de Sintra que confirmou que "o sinal em questão encontra-se redigido em português europeu".

_______________________________

Avaliação do Polígrafo:

Assine a Pinóquio

Fique a par dos nossos fact checks mais lidos com a newsletter semanal do Polígrafo.
Subscrever

Receba os nossos alertas

Subscreva as notificações do Polígrafo e receba os nossos fact checks no momento!

Em nome da verdade

Siga o Polígrafo nas redes sociais. Pesquise #jornalpoligrafo para encontrar as nossas publicações.